Não é só um belo banco que você mesmo pode fazer

O que mais me fascina em decoração, ou melhor, na construção de móveis e acessórios é a forma de permitir que as pessoas possam usufruir e ter uma interação tátil com uma peça de design que foi pensada em diversos aspectos que vão desde a escola de design, até a simplicidade que a torna bela (ou fera).

Em dias em que essas descrições são diretamente linkadas às criações da Apple, onde a tecnologia se tornou mais atraente através da atenção no design e na experiência, quando nos deparamos com algo que caminha no sentido contrário sendo rústico, zero tecnologia e de simples produção (permitindo que você mesmo produza) acaba nos dando um soco no peito – pelo menos é assim que eu me sinto.

Isso aconteceu quando, numa das minhas navegadas por essa tal de internet, descobri um trabalho do estúdio de design NJUStudio que deu uma utilidade para sua pilha de revistas (e/ou jornais) antigas que não servem mais pra muita coisa mas você tem um certo apego para jogá-las fora.

Com uma base de madeira, 2 cintos, 1 almofada e as benditas, você pode criar bancos, apoios, uma espécie de puff e diversas outras coisas que sua criatividade permitir.

Na descrição conceitual, essa peça é mais profunda do que somente acessório de decoração e afirma o título desse post (Não é só um belo banco que você mesmo pode fazer). As revistas que você escolherá podem dizer muito sobre você. Imagine que bacana se você colocasse uma coleção de revistas emblemáticas como Playboy, Rolling Stone, ou até mesmo dar uma utilidade mais interessante para as revistas da NET (rs).

 

 

 

 

`