Estilo

Uma carta para mim mesmo 10 anos atrás – por Rodrigo Esteves

por: Eme Viegas

Publicidade Anuncie

O Hypeness continua inspirando pessoas e gerando importantes reflexões pra vida com seu mais recente quadro, Uma carta para mim mesmo 10 anos atrás. Convidados de todas as áreas escrevem uma carta para suas versões com menos 10 anos e refletem sobre as escolhas que fizeram, o resultado dessas escolhas e o que foram aprendendo no caminho.

Convidado de hoje: Rodrigo Esteves

Profissão: Diretor de criação da Razorfish/Digitas

Rodrigo por Rodrigo: Um texto elogiado em público quando eu tinha 13 anos me fez imaginar que isso teria algo a ver com o que eu faria no futuro. Hoje sou redator exercendo a função de diretor de criação. São 17 anos no mundo de agências. Passei por escolas como a África, Ogilvy, Agenciaclick, Sun/MRM, Bullet e há quase quatro anos defendo a Razorfish/Digitas. Essa vocação transformada em profissão me rendeu prêmios como 2 Leões em Cannes além de OneShow, El Ojo, Webby, Fiap, Echo Awards, CCSP, Wave Festival e Colunistas. Diretor voluntário de ONG, marido da Noemi, pai dos caninos Lola, Preta e Tomy, estudante de teologia com a faculdade trancada e saxofonista que promete que ano que vem vai voltar a estudar.

Oi Rodrigo,

Você está aí, sentado na frente do computador, com um falso olhar sereno e um iceberg nascendo pelas estranhas. Aprovar ideias com o Nizan Guanaes não é tarefa para amadores. Muita calma. Até porque voltar para a mesa com anúncios reprovados forma caráter. Respire. É você que está falando: você mesmo. Pense. O que você daria pra escutar algumas coisas sobre você mesmo estando com 10 anos de vantagem no tempo e no espaço?

A carreira não está indo na direção que você sonhou. Ótimo.

Não fique aflito porque acha que fez algumas escolhas erradas ou sem foco. Ter trabalhado em agências de diversos portes e especialidades como promoção, marketing direto, propaganda e internet só vão deixar você mais tarimbado. Acredite, no futuro isso vai ser chique e vai ser raro. Vão até criar um nome para você: criativo multidisciplinar.

Agência criativa não é a que cria, mas a que aprova

Faça amigos em outras áreas da agência, principalmente no atendimento. Botar um bom projeto na rua não depende apenas do trabalho da criação, mas de toda a agência. Para isso é preciso exportar a sua visão para outras áreas, contaminá-los com a motivação intrínseca que todo criativo tem.

Os projetos mais legais não têm briefing

Não espere um bom briefing de ninguém. Se um bom briefing não vier, crie você mesmo um. Até porque os melhores e mais legais projetos que você terá a chance de participar não tiveram briefing. Você mesmo os criou.

Não se apegue muito as suas ideias

Boas idéias não precisam de defesa. Se a sua idéia for boa e pertinente existe uma boa chance dela ir pra frente. Se mesmo assim ela não for, comece tudo de novo. Quem se apega muito as suas próprias idéias é que deve ter poucas.

A melhor maneira de vender uma ideia é ter certeza de que ela é boa

Nessa altura você já deve ter percebido o quão importante é ter boas habilidades retóricas. Um criativo articulado é um criativo mais próximo da promoção. Entretanto, nada de fazer cursos de oratória ou qualquer bobagem dessas. A melhor maneira de vender uma boa idéia é estar seguro de que aquilo é o melhor que poderia ser criado. A certeza de apresentar o melhor que você poderia produzir vai guiar as suas palavras.

O digital não é uma mídia, é uma cultura

Se aí em 2004 muita gente já vive conectada, em 2014 a coisa tomou proporções massivas. A sua mãe, por exemplo, não sai de um negócio que chama What’s app (eu explico outra hora). Aqui, num mundo de cultura digital, as pessoas não ligam muito para propaganda, é preciso pensar mais no que o consumidor quer ouvir do que no que as marcas querem falar. Tudo vai ficar muito mais personalizável, interativo e mensurável. E todos os dias surge um troço novo. O jogo vai ficar muito mais complexo. Prepare-se.

Não gerencie seu tempo, gerencie suas prioridades

Vai chegar uma hora em que o mundo vai começar a ficar mais complexo. Você vai casar ano que vem, vai virar supervisor de criação no outro e de repente caos. Não dá tempo pra mais nada. A rotina vira uma bola de neve que te engole. Pare e respire. Talvez você esteja brigando com o relógio, tentando fazer tudo ao mesmo tempo agora. Três dicas fundamentais: 1. Determine quais são as prioridades e realize-as. 2. Delegue o que não for prioridade. 3. Aprenda a falar não. Não é fácil, mas é possível.

Considerações finais

Se errar, peça desculpas. Se for ajudado, agradeça. Reconheça quem ajudou você a subir. Trate bem quem te serve. Nunca deixe uma conquista sem celebração. Voltar atrás não é sinal de fraqueza. Seja um eterno aprendiz. Questione, até as suas crenças, Deus não fica bravo com quem tem fé, mas tem dúvidas.

Um abraço e até breve!
Rodz

faixa-carta


Eme Viegas

Trabalho com internet e meu escritório é na praia.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Veja Também
Este charmoso café parece ter saído diretamente do filme ‘O Grande Hotel Budapeste’, de Wes Anderson