Neste café no Rio de Janeiro, você decide quanto quer pagar

Quanto custa um café? Na padaria da esquina o pingado é R$1, mas nas cafeterias de bairros nobres, o cappuccino pode chegar a R$10. Então, qual é o preço real de um café? No Curto Café, espaço que fica no centro do Rio de Janeiro, é você quem decide. Sem valor definido em cardápio, o café busca um novo tipo de relação com seus clientes, baseando-se na confiança e na honestidade. Será que funciona?

A cafeteria é pequena e não apresenta grandes luxos, mas o café tem qualidade garantida. Nas paredes, quadros negros mostram, em giz, o balanço mensal do negócio: custo de material, valor da internet (o Wi-Fi é gratuito), aluguel e mão-de-obra, por exemplo. O objetivo é fazer com que o Curto Café não feche o mês no vermelho mas, para isso, você não precisa deixar de tomar um café se a sua situação financeira não estiver muito boa. Se você paga R$5 no cappuccino no começo do mês, pode pagar R$1,50 no fim ou deixar para pagar depois, como preferir. Falando em confiança, é o próprio cliente que pega o troco da caixinha e faz seu pagamento.

E a pergunta é – será que conceitos como o do Curto Café podem dar um drible na ideia da malandragem brasileira?

Quanto vale um café?

Quanto vale um café?

Quanto vale um café?

Quanto vale um café?

Quanto vale um café?  Quanto vale um café?

Quanto vale um café?

Quanto vale um café?

Quanto vale um café?

Todas as fotos © Curto Café

Essa iniciativa nos lembrou uma outra, tão bacana quanto, o “café compartilhado”. Numa cafeteria na Vila Madalena, em SP, existe um sistema no qual você toma um café pago por alguém e pode fazer a mesma gentileza: deixar um café pago para outra pessoa. Relembre aqui.