Arquiteto projeta escolas flutuantes sustentáveis para ajudar crianças em regiões com inundações frequentes

Para lidar com o problema de constantes inundações na região de Makoko, na Nigéria, o arquiteto Kunie Adeyemi, da NLE, projetou escolas sustentáveis e flutuantes que podem abrigar até 100 crianças cada uma e que funcionam independentemente de fenômenos naturais. 

A estrutura, que tem 10 metros de altura e três andares, é construída sobre uma base de 32 metros quadrados, que flutua em 256 tambores reaproveitados. Toda em madeira reutilizada, a escola conta com playground, área de lazer, salas de aula e espaços para aula ao ar livre.

Para não precisar depender da luz e da água que está disponível em terra firme, o arquiteto optou por implementar na escola flutuante painéis solares e um sistema para captar a água da chuva, que é filtrada e usada nos banheiros.

Com as escolas flutuantes, as crianças da região não ficam sem aulas mesmo em períodos de alagamento, podendo chegar até o local usando barcos. Com foco na sustentabilidade, as escolas flutuantes pensadas por Kunie Adeyemi custam menos do que aquelas construídas em terra firme.

Veja só essas imagens:

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Escola flutuante

Todas as imagens © NLE