Professor americano publica conto de fadas com romance entre dois homens (e final feliz!)

Era uma vez, num reino encantado, uma princesa que foi sequestrada por uma bruxa. Em resposta, o rei lançou o desafio: quem salvar sua filha terá o direito de se casar com ela. Então dois jovens resolvem encarar a missão.

Os contos de fadas terminam muitas vezes com o príncipe salvando a princesa e se casando com ela… Mas este conto tem um final feliz diferente. A princesa é lésbica, independente, e não precisa ser resgatada, e durante a busca, os dois homens se apaixonam e, no fim, acabam se casando numa igreja medieval.

O conto de fadas contemporâneo é narrado no livro infantil “The princes and the treasure” (“Os príncipes e o tesouro”), de Jeffrey A.Miles, Professor da Escola de Negócios da Universidade do Pacífico, na Califórnia, Estados Unidos. Ele teve a ideia há dois anos, enquanto assistia a uma apresentação com um príncipe e uma princesa num parque de diversões. Ao ver os atores cantando e dançando, ele se perguntou porque não existia nenhum príncipe gay nem nenhuma princesa lésbica.Quando voltei para casa, resolvi criar a minha própria história.”

princes1

A aceitação do livro tem sido muito boa e, de acordo com Jeffrey, casais heterossexuais contaram que o livro os ajudou a conversar com os filhos sobre homossexualidade. Já os pais homossexuais disseram que o conto  serviu de apoio para falar com as crianças a respeito de seus próprios companheiros.

“O livro possibilita uma ótima maneira de abordar o assunto. Escrevi a história para ser romântica, e não sexual. Os pais dizem que a narrativa é ideal para as crianças, e o livro está entre os favoritos de várias delas“, comemora o autor.

conto-3

conto-4

conto-5

conto-6

conto-8

the-princes-and-the-treasure

Apesar da aceitação, o projeto não ficou livre de críticas. Entidades cristãs radicais acusam o livro de promover “propaganda homossexual”. Para Jeffrey, sua obra avança no combate ao preconceito. Ele lembra o caso de um pai que disse ler o livro para seus filhos em meio aos outros contos de fadas, sem distinção.

[via]