Mulher usa câmera escondida para registrar quantas cantadas recebe em um dia

Você já ouviu falar em algum homem que conquistou uma mulher ao gritar, na rua, coisas como “ô lá em casa”, “gostosa” e afins? O que esses homens não se dão conta é que, além das cantadas na rua não serem nada eficientes, elas são uma agressão. Duvida?

Esta garota gravou, com a ajuda de uma GoPro, como é ser mulher nas ruas de Manhattan, em Nova York. Ao todo, foram 10 horas andando pela região, de dia e à noite e mais de 100 “cantadas” recebidas, fora inúmeras piscadas, olhadas e assobios.

Usando uma simples calça jeans e uma blusa (e mesmo se estivesse de shorts ou vestido!), ela foi abordada, e até mesmo seguida, diversas vezes.  Se você acha que mexer com mulheres na rua é elogio, convidamos você a assistir o vídeo abaixo e se colocar no lugar da garota. O que você chama de cantada, é , na verdade, violência.

A campanha é da Hollaback, um movimento que quer acabar com as abordagens e assédio a mulheres nas ruas, o que além de colaborar para transformar a mulher em um simples objeto, causa desconforto e medo. Assista ao vídeo e espalhe essa ideia:

mulher-assedio1

mulher-assedio2

mulher-assedio3

mulher-assedio4

mulher-assedio5

mulher-assedio6

mulher-assedio7

mulher-assedio8

mulher-assedio9

mulher-assedio11

mulher-assedio14

Todas as imagens: Reprodução YouTube