Robô é capaz de matar vírus ebola usando raios ultravioleta

A doença que já matou mais de 4.400 pessoas em uma grave epidemia que está se alastrando pelo mundo pode ser combatida com o uso de um robô. Segundo os norte-americanos da Xenex, a máquina, que libera raios ultravioleta, é capaz de desinfectar locais contaminados pelo vírus ebola, evitando a contaminação em hospitais e centros de saúde.

O robô já é utilizado em cerca de 250 hospitais norte-americanos com o objetivo de desinfectar cada cantinho dos quartos, eliminando bactérias e vírus que possam contaminar novos pacientes – estima-se que, todos os dias, 300 pessoas morrem devido a infecções contraídas dentro do próprio hospital.

Usando xenon, um gás não-tóxico, o equipamento emite um tipo de luz ultravioleta que danifica o DNA desses organismos, impedindo sua reprodução ou mutação e, consequentemente, reduzindo drasticamente as chances de um paciente novo ser infectado. O processo de desinfeção demora cerca de cinco minutos, tempo em que a luz pulsante – que é cerca de 25 mil vezes mais brilhante que a do sol – é emitida na área.

O robô, que está no mercado desde 2010 e custa US$ 104 mil, já está sendo direcionado para hospitais nos EUA em que haja suspeitos de infetados com ebola. Infelizmente, tecnologias como esta dificilmente chegarão aos países africanos mais afetados pela epidemia e onde a desinfeção rápida e segura de hospitais poderia salvar milhares de vidas. Segundo a OMS, os casos de ebola podem chegar, em breve, a 10 mil por semana no mundo.

xenex1

xenex2

xenex3

xenex4

xenex6

xenex7

xenex8

xenex9

xenex10

Todas as fotos © Xenex