São Francisco é a primeira cidade dos EUA a banir garrafas plásticas

Só nos Estados Unidos, 17 milhões de barris de petróleo são usados todos os anos para produzir bilhões de garrafas PET, das quais menos de 30% são recicladas. Quando não se acumulam nos lixões, as garrafas plásticas prejudicam a vida marinha e os ecossistemas aquáticos, oferecendo riscos aos animais. A cidade de São Francisco, na Califórnia, deu mais um passo rumo à ambiciosa meta de lixo zero: agora, estabelecimentos estão proibidos de vender garrafas plásticas de menos de 600 ml e, gradativamente, elas serão completamente extintas da cidade.

A regra passou a valer em outubro de 2014 e a multa para quem a desrespeitar chega a US$ 1000. “Nós todos estamos a par das mudanças de clima e a importância de combater isso e São Francisco tem liderado o caminho da luta pelo meio ambiente. É por isso que eu peço que vocês apoiem essa iniciativa de reduzir e desencorajar o uso único e a porção única de garrafas d’água em São Francisco“, disse David Chiu, autor da lei, ao SF Gate.

A fim de cumprir o lixo zero, que deve ser atingido até 2020, a cidade também já baniu sacolas plásticas e embalagens de isopor. Com o banimento das garrafas, a cidade deve investir em bicas e bebedouros para facilitar o enchimento de garrafas reutilizáveis e manter a população hidratada – prática que é bastante comum em países europeus. Ainda nos Estados Unidos, diversos parques nacionais já proibiram o comércio de água em garrafas plásticas com o objetivo de diminuir o lixo acumulado por visitantes.

garrafa-plastica

garrafa-plastica2

Fotos via Inhabitat

garrafa-plastica4

Foto via Fast.Co