Tráfico sexual de orangotangos para prostituição mostra que ainda precisamos lutar muito pelos direitos dos animais

Se você também se espantou com o título deste post, sinta-se em casa. Certamente não foi o primeiro a achar estranha essa ideia. Mas, mesmo que o assunto não esteja em pauta por aqui, não significa que ele não exista: em alguns países da Ásia é bastante comum a prostituição (ou abuso sexual?) de orangotangos.

Além de serem abusados, os animais costumam viver enclausurados e acorrentados, segundo denuncia a veterinária espanhola Karmele Llano, que trabalha na Borneo Orangutan Survival. Entre os países em que a prática é comum estão a Alemanha e a paradisíaca Tailândia, onde muitos animais da espécie são utilizados como atração em bordéis. Diversos países ainda não possuem legislação específica que regulamente os direitos dos animais, o que faz com que a prática não possa ser punida legalmente e nos mostra o quanto ainda é importante lutar por essa causa.

Se não bastasse a violação dos direitos do animal, essa prática ainda pode contribuir para a extinção da espécie: hoje, existem apenas 20 mil orangotangos no mundo, segundo a a associação Orangutan Conservancy. A estimativa é que, se casos como este continuarem a ocorrer, a espécie poderá ser extinta ainda nos próximos 10 anos.

Até quando vamos continuar maltratando aqueles que habitam com a gente esse incrível planeta?

orangotango2

Foto: Getty Images

orangotango1

Orangotango fêmea que era usada como prostituta foi resgatada pela veterinária Karmele Llano e ganhou uma nova chance. Foto: Indrayana.