Ex-borracheiro vira juiz depois de estudar 200kg de resumos

Para ser bem-sucedido na vida profissional, há quem pense que estar em uma universidade basta. Contudo, as condições de vida de um aluno é um dos principais fatores que podem garantir o seu sucesso. Um estudante que mora a uma longa distância da faculdade e trabalha o dia inteiro obviamente não terá o mesmo rendimento daquele que mora perto, vai de carro e trabalha em um estágio tranquilo. Mas o juiz federal Rolando Valcir Spanholo, de 38 anos, é a prova de que com determinação e disciplina é possível contornar as adversidades da vida e alcançar grandes conquistas.

Nascido na cidade de Sananduva, no Rio Grande do Sul, Spanholo e seus quatro irmãos trabalharam desde pequenos consertando pneus e lavando carros. De origem humilde, a família fez todos os sacrifícios necessários para que todos os filhos conseguissem estudar Direito em uma faculdade a 250 km de casa. Os estudos foram pagos com a costura de edredons, cortinas e bordados, trabalho ao qual todos os irmãos se dedicavam. Mais tarde, Spanholo começou a trabalhar com vendas e, então, devido ao ritmo do trabalho, as faltas no curso de Direito começaram a se tornar frequentes. “Na verdade só consegui levar adiante a graduação porque meus colegas conheciam minha realidade e sempre me emprestavam os cadernos para copiar ou tirar xerox“, disse ele em entrevista ao G1.

Apesar de ficar de exame nos 10 semestres da graduação, Spanholo gostou da ideia de um professor em seguir magistrado. Na Escola Superior da Magristratura, ele fez o aperfeiçoamento e tentou vários concursos, mas sempre ficava no “quase”. Em 2003, ele decidiu se afastar dos estudos já que sua esposa tinha acabado de ganhar bebê e foi só em 2010 que o sonho foi retomado. Sem recursos para participar de cursos ou estudar por “doutrina pesada”, ele criou sua própria técnica de estudo para relembrar o que havia aprendido na graduação e se preparar para o concurso para juiz federal.

rolando-spanholo4

Após passar 4 anos grifando leis, relendo anotações, refazendo provas e resumindo informativos de tribunais superiores, Spanholo acumulou incríveis 200 kg de resumos. Em 34 caixas, o material de estudo lhe rendeu a aprovação, em novembro de 2014. “Não sei explicar direito, mas é como se as pessoas precisassem ver diante dos seus próprios olhos uma prova de que também elas podem superar seus limites pessoais e alcançar os seus sonhos“, disse Spanholo sobre estar, com sua história, inspirando tantas outras pessoas.

rolando-spanholo2

rolando-spanholo3

Fotos © Rolando Valcir Spanholo/Arquivo Pessoal

rolando-spanholo

Foto © Tribunal Regional Federal

Via G1