Desafio Hypeness: dá pra comer saudável gastando só R$ 50 por semana?

Acompanhando o trabalho dos meus colegas, de alguma forma eu sabia que este momento ia chegar. Após a publicação do post da Alana Rox sobre a semana da qual se alimentou somente com R$ 50, eis que chega um email da Jaque, a big boss, pra mim: e aí, topa? Como eu detesto desistir, cá estou eu para relatar o Desafio Hypeness da semana: comer coisas saudáveis durante sete dias com apenas 50 reais no bolso.

Obviamente, não poderia comer fora, até  porque minha querida São Paulo me faz o desfavor de ser a cidade mais cara do Brasil. O mercado também  não está pra brincadeira em relação aos preços e descobri que a feira também não está das melhores em relação aos valores, mas beleza, me recuso a viver de luz. Por coincidência, o desafio surgiu logo quando eu já não tinha mais nada em casa e eu não tive muito tempo pra elaborar muita coisa, até porque já teria de começar dois dias depois.

Fui para o mercado e foi difícil comprar as coisas, porque eu moro com o meu namorado e não faço comida só pra mim. Mas, em todas as refeições – café da manhã, almoço e jantar – tentei usar medidas individuais, portanto alguns preços do que compramos eu reduzi pela metade, afinal, não usei tudo.

Na minha casa, não costumo me alimentar mal, mas sinceramente nunca fui tão natureba quanto nesta semana. Com esse dinheiro virei praticamente uma vegana nata, vivi sem glúten e quase sem lactose, coisa que evitei ao máximo. Investi a maior parte dos 50 reais na feira e posso dizer que sim, fui feliz, e vou mostrar como. Em alguns dias, deu até pra fazer sobremesa.

Sinceramente, cozinhar não é a melhor coisa do mundo pra mim, mas até que peguei gosto. Ainda assim, amo praticidade, então a pior coisa do mundo foi ter que planejar o cardápio da semana, ou ao menos ter noção dele, por conta dos ingredientes e dinheiro contadinhos. Muita coisa saudável que eu já fazia em casa faria a conta subir e cá pra nós, todo mundo sabe que produtos saudáveis não são a coisa mais barata do mundo, tem que saber onde ir para comprar, as quantidades certinhas e etc. Eu simplesmente não sei e desculpa, mas também não costumo seguir medidas nas receitas.

Enfim, pesquisei algumas coisas e o Pinterest é o paraíso das receitas criativas, rápidas e etc. Uma das coisas que procurei fazer e super indico pra quem quer comer bem gastando pouco é  reinventar o uso dos alimentos naturais, coisa que tem sido feita cada vez mais pelas mãos de pessoas inovadoras. Hoje em dia não tenho dúvidas de que o vegano e vegetariano encontra muita variedade na hora de comer, e se você ainda acha que eles vivem de salada, já passou da hora de rever seus conceitos. E como eu odeio desperdício, quis reaproveitar tudo o que sobrava também.

Bom, vamos à parte prática do desafio. Anotei num caderno as sugestões de cada uma das refeições do dia, pra eu ter um norte mesmo, embora não tenha seguido à risca os pratos que havia pensado. Em dias corridos, acabava adaptando alguma coisa ou mudando de lugar no meu menu saudável. Se você torce o nariz para alimentos saudáveis e naturais, saiba que eu também já fui assim e te digo que o segredo está no tempero, no preparo destes ingredientes. Quem diria que uma couve-flor poderia virar massa de pizza? Isso é mágico, cara. Confie em mim. Ah! A conta não inclui temperos, até porque tenho a maioria plantado em casa, nem sal, azeite, açúcar e água.

Dia 1

Café da manhã: acordei sem muita fome e preocupada com essa matéria. Oi, ansiedade, tudo bom? Essa é uma das maiores inimigas na hora de comer. Resolvi começar pelo básico, que eu já comia antes, tapioca com ricota e suco de maracujá. Não usei a polpa toda, guardei metade num pote na geladeira e ainda nem tomei o suco todo, sobrando para a hora do almoço.

Jpeg

Almoço: fiz arroz integral (1 xícara de chá), com couve (3 folhas), purê de mandioquinha (sem leite, meia mandioca) e um pouco de couve fritinha no azeite, que eu amo. Enquanto comia, assei chips de maçã com canela, e como a fruta tava enorme, ainda sobrou um pouco, que virou suco.

Jpeg

Jpeg

Jantar: Omelete com meio tomate assado. Não estava com muita fome, então fiquei satisfeita com o que fiz. De sobremesa, chips de maçã (meia maçã cortada assada no forno com canela).

Jpeg

Jpeg

Dia 2:

Café da manhã: bolinho de banana (2 bananas amassadas com aveia + forno) e infusão de maracujá com especiarias (usei metade da polpa que sobrou do dia anterior).

Jpeg

Almoço: risoto de beterraba (arroz integral + 1 beterraba batida) com abobrinha grelhada – simplesmente delicioso e me saciou demais. Acabou sobrando arroz.

dieta50reais

Janta: panqueca de couve (feita com tapioca e 1 ovo batido) com ricota e cenoura, e suco de maçã (feito com polpa que sobrou dos chips de ontem). Essa panqueca é ótima, super fácil de fazer e sacia muito!

Jpeg

Jpeg 

Dia 3

Café da manhã: mamão e chá de hortelã. Acabei comendo só uma metade do mamão, então guardei o resto para fazer suco.

 dieta50reais-5

Almoço: nhoque de ricota (feito com farinha de arroz, menos da metade de uma ricota, sal, ovos e noz moscada) com molho de tomate assado (1 tomate + meia cenoura ao forno e depois batidas). Esse nhoque é um dos meus pratos favoritos, porém, com a farinha de arroz não ficou a mesma coisa. Ele não chega a boiar na água na hora de ferver, simplesmente dissolve e perdi alguns por causa disso. No caso, insisti na receita e com a água já bem quente, coloquei a massa e deixava só um tempinho. Deu certo desse jeito.

Fiz suco de mamão com laranja.

dieta50reais-8

dieta50reais-7

dieta50reais-6

Janta: sopa de brócolis (alguns pedaços de brócolis + couve-flor + 1 batata ralada + talos. Ferve tudo, bate no liquidificador com metade da água e volta pra panela até ficar um caldo grossinho).

Jpeg 

Dia 4

Café da manhã: tapioca com banana (coloquei um pouco na panela com canela) e suco de laranja

 dieta50reais-11

dieta50reais-12

Almoço: macarrão vivo (aboborinha + cebola + cheiro verde + cebolinha + manjericão + sal) com chips de mandioquinha (feitos no forno). Amo essa receita! Infelizmente, não tenho o ralador ideal para fazer as tiras fininhas de macarrão, então eu simplesmente corto do jeito mais fino possível e coloco pra ferver. Fica delicioso!

dieta50reais-13

dieta50reais-15

dieta50reais-14 

Janta: creme de abacate (na preguiça de fazer comida, fiquei só na sobremesa mesmo, feita com metade de um abacate e leite de coco)

Jpeg 

Dia 5

Café da manhã: fiz o pão mais fácil do mundo, com farinha de linhaça (1 colher), farinha de arroz (1 colher), sal, alecrim, 6 colheres de leite desnatado (ou o que você preferir) e deixei um minuto e meio no microondas. Maravilha total! E pra beber, bati abacate com um pouco de açúcar e leite.

 Jpeg

Jpeg

Almoço: tinha que ir correndo pra uma pauta e o que era pra ser janta acabou se antecipando por conta da praticidade. Com a cenoura cozida e o pedaço de mandioquinha que sobraram de ontem, fiz legumes ao curry com tomate, que ficou com cara de sopinha. Achei delicioso, mas não comi tudo porque já estava atrasada, então guardei o restinho também.

Jpeg 

Janta: arroz integral com abobrinha (metade de uma) e pepino (1/4) com meio tomate refogado no azeite. Sim, isso me alimentou muito bem.

Jpeg

Dia 6

Café da manhã: banana com aveia (estava com pressa pra sair, essa foi a melhor solução que achei)

Jpeg

Almoço: bolinhos de arroz (com sobras de arroz, adicionei ovo e farinha de arroz pra virar um bolinho)

Jpeg

Jpeg

Janta: pizza de couve-flor (massa feita com couve-flor + sal + farinha de arroz + ovo)

Jpeg

Jpeg

Dia 7

Café da manhã: pãozinho de batata (1 batata + seis colheres de leite + farinha de arroz + farinha de linhaça + fermento + sal. Coloquei no forno e nasceu!) e suco de goiaba com um pouquinho de aveia

Jpeg

Jpeg

Almoço: arroz com brócolis e batata rústica (assada no forno com alecrim). Sobremesa: sorvete de banana (melhor invenção da vida! congele bananas, depois bata no liquidificador com só um pouco de leite de coco ou água. Tem que ficar denso! Leve de volta ao freezer e espere para comer)

Jpeg

Jpeg

Janta: creme de cenoura (mesmo esquema da sopa de brócolis, mas dessa vez bati couve-flor junto com 1 cenoura)

Jpeg

Contas

Os cálculos foram realmente complicados, porque como eu falei, não moro sozinha e não fiz compras sozinha. No caso, acabei comprando o que compraria normalmente e fui dividindo as coisas de acordo com o que ia usar. Por ser a primeira vez na vida que fiz isso, de gastar apenas R$ 50 na semana, acredito que com maior planejamento teria comprado melhor os ingredientes, para variar mais nas receitas ou acertar as quantidades individuais de cada uma delas.

Os itens de supermercado são um problema à parte, porque por exemplo, não usei uma caixa de leite inteira sequer, ou um pacote de farinha de arroz inteiro, ou seja, não são quantidades individuais para apenas uma semana, e sim para o mês todo. Cheguei a comprar algumas coisas, como carne de soja, achando que daria para incluir na conta e não deu, então acabei não usando; já outras, consideradas mais saudáveis, como é o caso da batata doce, eu simplesmente não curto muito e preferi incluir ingredientes dos quais eu não teria decepções, afinal, as economias estavam limitadas por aqui. Acho que o ideal é cada um adaptar este desafio do jeito que achar melhor e mais gostoso.

 Jpeg

Jpeg

Jpeg

Jpeg

Jpeg

Jpeg

Como foi? 

No primeiro dia estava completamente perdida. Me incomodou ter que cozinhar/preparar as três refeições todos os dias. Quem não gosta de ficar mais de meia hora na cozinha pode sofrer com isso, embora as receitas sejam práticas. Ressalto novamente que com um bom planejamento em mente, feito com tempo e muita pesquisa, teria reduzido o meu estresse de estar toda hora me preocupando em não passar dos R$ 50 e em fazer coisas diferentes, três vezes por dia, diariamente. Não é fácil, mas também não é a coisa mais difícil do mundo.

Apesar disso, a experiência foi bem positiva, mesmo que baseada em 75% invencionice da minha cabeça e 25% de pesquisa. O fato é que viver sem carne não é grandes coisas, e sinceramente, um prato bem temperado, farto e colorido já me faz feliz sem a necessidade de proteína animal.

Opiniões à parte, foi interessante testar receitas e descobrir novos sabores. Não senti grandes mudanças no meu corpo com essa dieta, até achei que emagreceria, mas foi apenas uma semana e acho que a minha pele está mais bonita, com mais vida, o que é ótimo! Além disso, acredito que estava mais disposta durante este período. Cheguei a fazer longas caminhadas no feriado e não senti dor nas pernas ou cansaço, coisa que meu corpinho sedentário sentiria facilmente. A alimentação certamente traz mudanças de dentro para fora e isso foi só durante sete dias, imagino o que não faria à longo prazo.

O mais legal desse desafio foi quebrar o mito de que para comer bem e de forma saudável é preciso gastar muito! Só de cortar a carne do menu, a economia foi gigantesca – nessa semana me dei conta de como pagamos caro na carne e como mesmo assim o brasileiro continua exigindo esse item no cardápio todos os dias. Se eu tivesse que comprar carne pra comer todos os dias, esses R$ 50 teriam ido somente na carne e provavelmente ainda faltaria. Se você é carnívoro ao extremo, experimente eliminar a carne do cardápio em 1 ou 2 dias da semana, e vai ver como seu bolso (sua saúde e o planeta) vão agradecer.

Também pude notar que preparar alimentos saudáveis muitas vezes é até mais fácil do que preparar alimentos não saudáveis. Existem muitas receitas pela internet e com um pouco de pesquisa (e um bom tempero), dá para viver muito bem, gastando pouco e se alimentando de forma mais saudável.

E você – topa entrar nesse desafio com a gente de ficar uma semana comendo de forma saudável e gastando no máximo R$ 50? Pode ser uma ótima chance de se acostumar a incluir alimentos saudáveis no prato e também de fazer melhores escolhas no supermercado. Poste as fotos da sua semana nas suas redes sociais com as hashtags #comendosaudavelcomR$50 e #desafiohypeness.

Todas as fotos © Brunella Nunes para o Hypeness

faixa-desafio-hypeness