Jovem de 15 anos desenvolve teste que permite detectar Alzheimer 10 anos antes dos primeiros sintomas

Confusão mental, perda da memória recente, agressividade e depressão. Estes não são sintomas da idade, mas do Alzheimer, uma doença que afeta cerca de 1% dos idosos entre 65 e 70 anos no mundo e que só pode ser diagnosticada após exames cognitivos. Mas isso está prestes a mudar. Um britânico de 15 anos conseguiu desenvolver um teste capaz de identificar a presença do Alzheimer no cérebro até 10 anos antes dos primeiros sintomas se manifestarem.

Krtin Nithiyanandam, estudante da cidade de Epsom, Surrey, criou um anticorpo que, ao ser injetado no sangue, funciona como um cavalo de tróia, penetrando no cérebro e se ligado às proteínas neurotóxicas que fazem parte do primeiro estágio da doença. A grande sacada é que esses anticorpos trazem consigo partículas fluorescentes, sendo possível, portanto, enxergar a presença das proteínas ligadas ao Alzheimer mediante uma ressonância magnética. O estudo traz ainda uma possibilidade terapêutica, uma vez que o anticorpo tem a capacidade de combater a doença.

As principais vantagens do meu teste estão relacionadas à possibilidade de ele ser usado para diagnosticar a doença de Alzheimer antes de os sintomas se manifestarem, focando-se nas mudanças patofisiológicas, algumas das quais podem ocorrer uma década antes dos sintomas“, afirmou Nithiyanandam ao Telegraph.

O projeto está concorrendo ao Google Science Fair Prize, um concurso global destinado a adolescentes de até 18 anos que desenvolvem projetos científicos inovadores. O estudante é um dos finalistas e, se ganhar, receberá uma bolsa de estudos para dar continuidade ao teste.

teste-alzheimer

teste-alzheimer2

Todas as fotos © Krtin Nithiyanandam/Arquivo Pessoal