Como esta roupa íntima pode ajudar a manter milhares de meninas africanas na escola

Quando a designer de produto Diana Sierra estava na faculdade, ela fez um estágio em Uganda, na África. Lá, algumas garotas  a confidenciaram que era muito difícil ir à escola durante o período menstrual, pois era raro (e caro) encontrar absorventes. Sendo assim, elas simplesmente deixavam de assistir as aulas.

De acordo com a UNICEF, uma em cada 10 garotas não vai à escola durante a menstruação. Em entrevista, Diana contestou: “Nós não estamos falando de foguetes espaciais; estamos falando de absorventes higiênicos. No entanto, ambos têm o mesmo efeito. Eles nos levam à lugares”.

africa2

Hoje a ONG de Diana, Be Girl, trabalha para garantir que todas as garotas que desejam ir para escola possam fazê-lo – menstruadas ou não. A designer lançou uma roupa íntima almofadada reutilizável com bolsas impermeáveis que pode ser abastecida com qualquer material absorvente, como pano, algodão ou papel higiênico: “Basta enchê-la com qualquer coisa que é seguro”.

Quando a bolsa está cheia, é só substituir o material. Já a peça é fácil de lavar e seca facilmente. Sobre sua criação, Diana comenta: “Isso não é sobre o produto em si, é sobre o que as meninas sentem quando o têm. Uma delas me disse ‘O que eu mais gosto dele é que me sinto orgulhosa em ser menina‘”.

Abaixo um vídeo de apresentação do projeto:

BE GIRL Empowering women through design from Be Girl on Vimeo

africa3

africa1

africa4

Todas as imagens via Be Girl