Campanha incentiva mulheres a denunciar assédio sexual e moral no trabalho

Quantas vezes já respondemos com o silêncio aos assédios no ambiente corporativo por precisar de um trabalho? Bem, o mundo precisa de nós, de nossa voz, para que assuntos relacionados à violência contra a mulher não seja mais lugar comum.

Uma pesquisa do Vagas.com revelou que apenas 12,5% das vítimas de assédio fizeram denúncias, a maioria intimidada pelo risco de perder o emprego (40%), como também pelo medo de represália (32%), a vergonha (11%) e, ainda, o temor de que achar que a culpa era sua (8%).

Devemos usar este momento em que assuntos relacionados ao empoderamento da mulher estão sendo discutidos nas redes sociais, bem como denúncias de abuso como #NãoMereçoSerEstuprada, #MeuPrimeiroAssédio e #MeuAmigoSecreto, para nos manifestar contra o abuso sexual e moral no trabalho.

As mulheres representam 48% no mercado de trabalho, 51% do mercado consumidor e superam os homens em 9 milhões entre os eleitores. Para romper o silêncio a revista AzMina e a comunidade Não Foi Ciúme lançaram uma nova campanha para todo mundo participar nas redes sociais e contar a sua história, a #assédionotrabalho.

assedio1

AzMina ainda criaram vários memes para todo mundo que quiser usar na campanha, veja abaixo:

assedio3

assedio4

assedio5

assedio6

assedio7

assedio8

Participe e ajude a acabar com o #assédionotrabalho!

Todas as imagens via AzMina