Depois de rodar o planeta, fotógrafo acha as pessoas mais felizes do mundo: os nômades africanos

Mario Gerth é um foto-documentarista alemão cuja a profissão já o levou para os cinco continentes, mais de 80 países e cerca de 40 mil km rodados de bicicleta. Mas uma dessas viagens o marcou. E Mario passou dois anos imerso em uma das comunidades africanas mais remotas e mais diferentes do Ocidente. E o resultado é uma obra de arte!

Em seu trabalho, intitulado como “nômades africanos”, ele viajou por 5 países em busca de retratos que pudessem passar a essência e a singularidade daquela região. Os destinos foram Namíbia, Níger, Quénia, Mali e Etiópia.

Ele conta que estas foram algumas das pessoas mais felizes que ele já conheceu, apesar de sua simples condição de vida. “Eles vivem em ambientes agressivos, mas ainda assim trazem cor e alegria para o mundo”, disse Mario ao Daily Mail.

E ele completa: “Muitas das pessoas que viram minhas fotos disseram que elas as fizeram repensar em suas vidas e no verdadeiro significado do que é felicidade”.

nomades-africanos1

Para o Bored Panda, Mario escreve um texto autobiográfico e nos descreve um pouco mais de sua experiência: “Eu já testemunhei uma Guerra Civil, pobreza, ditadura e muita violência. Depois de uma viagem de 4 anos e 40 mil km de bike, eu me apaixonei pela África. E para retratá-la, percorri mais centenas de quilômetros a pé, de barco, de jipe, sozinho… As fotografias são a homenagem que eu deixo. É uma coleção de retratos íntimos de um grande continente que respira uma diversidade e uma naturalidade que está faltando no mundo ocidental”.

nomades-africanos17

nomades-africanos18

nomades-africanos19

nomades-africanos20

nomades-africanos16

nomades-africanos15

nomades-africanos14

,

nomades-africanos10

nomades-africanos9

nomades-africanos8

nomades-africanos7

nomades-africanos6

nomades-africanos12

nomades-africanos5

nomades-africanos4

nomades-africanos3

nomades-africanos2

Todas as fotos: ©Mario Gerth