Jovem estuprada divulga detalhes na web minutos após agressão pra incentivar denúncias

A cultura em que vivemos costuma achar que algumas atitudes femininas ainda podem ser consideradas como um convite ao estupro – e, acredite, nós já estamos em 2016! Porém, um número crescente de ativistas busca conscientizar o mundo de que nada do que fazemos pode ser considerado como se as mulheres “estivessem pedindo” por isso.

Amber Amour, de apenas 27 anos, era uma destas ativistas, que se dedicava a promover a campanha “Stop Rate. Educate” (“Parem o estupro. Eduquem”, em tradução livre) na Cidade do Cabo, na África do Sul. Enquanto estava lá, por uma dessas ironias do destino, encontrou um rapaz chamado Shakir, com quem já havia ficado um dia. Mas, naquela hora, ele estava bêbado e ela avisou que aquele não seria um bom momento.

Porém, ele insistiu e convidou ela para tomar um banho. “Aceitei, porque a água do hostel onde eu estava hospedada era gelada e, há dois dias, eu estava bastante doente [com intoxicação alimentar]. Só queria um banho quente”, contou. O que ela não imaginava é que acabaria sendo estuprada após aceitar o convite. Logo após, recorreu ao Instagram para contar sobre a violência sofrida e incentivar outras mulheres a denunciar agressões.

amber

Lá estava eu dizendo a outras sobreviventes que elas deveriam falar também. Eu sabia que tinha que praticar o que pregava”, contou em entrevista à edição britânica da revista Marie Claire. “Eu poderia ter escondido os detalhes, ter mantido algumas informações só pra mim. Mas vocês precisam saber da verdade e ver a realidade da situação. Não importa o que a pessoa faça, nada é um convite para o estupro. Não importa se eu o beijei, se ele estava bêbado. Não importa se eu disse sim a um banho. Eu nunca disse que ele poderia me estuprar”, lembra ela (como se fosse obrigatório lembrar, né?), que também compartilhou uma foto de quando a estavam examinando após o ocorrido.

amber2

Fotos © Amber Amour