O amor vencerá: vídeo junta casais de judeus israelitas e árabes se beijando em nome da paz

O Ministério da Educação de Israel retirou da lista de leitura das escolas locais um livro, intitulado “Borderline“, do autor Dorit Rabinyan, que retrata um romance entre uma tradutora israelense e um artista palestino. A resposta? O amor.

Segundo o governo, “adolescentes tendem a romantizar as coisas, e nem sempre têm a visão sistêmica que inclui considerações sobre a manutenção da identidade étnico-nacional e o significado da assimilação [de valores culturais que passam de um povo a outro]”. Ou seja, na visão do Ministério, o livro poderia representar um perigo por levar jovens a acreditar que as diferenças ideológicas dos governantes podem ser superadas pelo amor.

O site Time Out Israel preparou um vídeo para demonstrar que nem todos concordam com as fronteiras físicas e imaginárias que separam árabes e judeus.

JewsArabsKiss1

Seis casais formados por judeus e árabes, entre hétero e homossexuais, aceitaram o convite para encarnar o amor proibido e se beijar em frente à câmera. Alguns deles já eram casais, outros apenas amigos, e outros nem se conheciam.

O resultado, que você confere abaixo, já rendeu mais de 400 mil visualizações em pouco mais de 10 dias. Olha só:

JewsArabsKiss12

JewsArabsKiss11

JewsArabsKiss10

JewsArabsKiss8

JewsArabsKiss6

JewsArabsKiss5

JewsArabsKiss3

Todas as imagens © Ilya Melnikov/Time Out Tel Aviv