A luta de uma mãe para banir memes com a foto de seu filho com deficiência

A internet não inventou a crueldade humana, mas trouxe à luz certos requintes de maldade com os quais não estávamos acostumados. AliceAnn Meyer é uma mãe australiana. Desde que seu filho Jameson nasceu com uma síndrome que provoca a fusão prematura do crânio, alterando o formato da cabeça e da face da pessoa afetada, ela mantém um blog, chamado Jameson’s Journey (A Jornada de Jameson), comentando as maravilhas e as dores de criar seu filho, de forma apaixonada e comprometida.

AliceAnn com seu filho, Jameson AliceAnn com seu filho, Jameson

Em 2014, AliceAnn publicou uma foto de Jameson com o rosto coberto de chocolate. O post é justamente um forte e singelo chamado contra os que debocham cruelmente da aparência de seu filho – contemplando também, em sua defesa, “todas as crianças que sofrem ataques por suas singularidades e diferenças”.

MEME3

Porém, qual não foi a surpresa de AliceAnn quando descobriu que a foto de seu filho havia sido usada para aquilo que o texto justamente procurava combater? Memes de internet comparando a feição de Jameson a um cachorro da raça Pug foram criados, a partir de seu post, e rapidamente viralizaram.

A própria mãe escreveu então um novo texto, intitulado “Esse é meu filho Jameson, e não, você não pode usar sua foto”, a fim de esclarecer o ocorrido. Nele, AliceAnn agradece aos que se opuseram e denunciaram os memes, e convida os que tiverem acesso ao post, a entrar em contato com ela, para que ela possa lutar contra o indevido e assombroso uso da imagem de seu filho. Em certo o texto pergunta, sem ser capaz de responder, a questão essencial: O que leva uma pessoa a cometer tal coisa?

MEME2

A crítica mais contundente e objetiva vai diretamente para o Facebook. Enquanto tanto o Instagram quanto o Twitter rapidamente reagiram às denúncias e retiraram o material em questão de minutos, segundo AliceAnn, o Facebook não só primeiramente respondeu em mensagem que o meme “não violava seus padrões comunitários”, como demorou 48 horas para rever essa afirmação e enfim retirar o post do ar. Todos sabemos bem o quanto uma informação pode circular e se multiplicar ao longo de dois dias.

AliceAnn se diz uma mãe que se recusa a não lutar – e convida todos a participarem, não compartilhando esse tipo de material, e principalmente, iluminando o absurdo que significa escolher como alvo de degradação e deboche uma criança.

©Todas as fotos: divulgação