Como o plástico que iria para o lixo pode virar uma casa de baixo custo

O lixo plástico descartado incorretamente em vias públicas e no oceano poderia ter um destino completamente diferente: ajudar na elaboração de casas com isolamento acústico e térmico e resistente às intempéries climáticas.

Os empreendedores Carlos Daniel Gonzalez e Nataniel da startup mexicana EcoDomum, baseada em Puebla, estão dispostos a retirar os resíduos plásticos encontrados pelas ruas, como garrafas e brinquedos e transformá-los em uma solução sustentável: a composição de materiais de construção para criar casas a preços acessíveis para pessoas de baixa renda em seu país.

casa00
Os sócios Carlos Daniel e Nataniel

Graças ao subsídio de um programa habitacional eles estão transformando essa possibilidade em realidade. A matéria-prima passa por um processo de fundição, compressão e cristalização, resultando em grandes placas, usadas como paredes e tetos duráveis e resistentes.

Com 80 painéis se constrói uma casa de 40 metros quadrados, dividida em dois quartos, um banheiro, uma sala de estar e uma cozinha. Em cada uma delas são usados cerca de dois mil quilos de lixo processado.

A Eco Domum já construiu mais de 500 casas com plástico recolhido por todo México, proporcionando lares a um baixo custo e ajudando o planeta a solucionar um problema bastante desafiador. Conheça os serviços da empresa aqui.

Eco Domum from Fondeadora on Vimeo.

casa7

casa5

casa6

casa3

CASA2

CASA1

Todas as imagens via Eco Domum