Salvador proíbe músicas homofóbicas e discriminação em seu Carnaval

O conselho municipal do Carnaval, de Salvador, determinou que o Carnaval não pode em nenhum estância incitar qualquer tipo de discriminação LGBT.

Com isso, estão vetadas nos trios elétricos canções e até falas de natureza homofóbicas, discriminatórias ou que possam incitar violência  no carnaval baiano, com direito a punição por multa em caso de descumprimento da norma.

©Foto: Divulgação ©Foto: Divulgação

Essas melhorias nos hábitos carnavalescos baianos se dão a partir da campanha “Respeito é bom e eu gosto, e no Carnaval mais ainda”, que visa conscientizar o folião. Os trios e carros de som exibirão banners em suas laterais com mensagens contra a exploração sexual de crianças e adolescentes, discriminação racial, LGBT e violência contra a mulher – tudo aquilo que é o mínimo da civilidade, mas que ainda se faz necessário ser lembrado.

©Foto: Elias Dantas ©Foto: Elias Dantas ©Foto: Aratu Online ©Foto: Aratu Online

A campanha nasceu depois que, no ano passado, o Grupo Gay da Bahia ofereceu R$ 1 mil para quem fizesse uma canção em resposta a Quem Banca é o Viado, canção homofóbica do cantor Robyssão – além de denunciar o cantor no ministério público. A canção vencedora foi Mais Amor Por Favor, de Salete Maria e Mr. Galiza.

Recentemente o Hypeness mostrou que rádios brasileiras se uniram e usaram a música para combater a homofobia. Relembre.

*Este post faz parte da parceria Hypeness e Bed Head, que criaram um canal especial para inspirar pessoas ousadas e que arriscam no visual e, principalmente, no penteado.  Juntos, andamos pelos bloquinhos de rua de SP registrando o que há de mais irreverente. Para ler todos os posts do canal, clique aqui#bedheadnobloquinho