Estudantes criam museu virtual para destacar trajetória de mulheres que fizeram história

Ao longo da vida escolar, conhecemos muitos personagens que revolucionaram a humanidade. Por incrível que pareça, todos são homens, como se só eles fossem os donos de grandes conquistas. Com o empoderamento feminino a todo vapor, estudantes do Centro de Ensino Médio 1 de São Sebastião, no Distrito Federal, estão mudando essa cena ao criar um museu virtual para destacar mulheres que fizeram história.

Chamado de Heroína Sem Estátua: o conhecimento a partir das mulheres, o projeto encabeçado pela professora Maria Del Pilar Tobar já consegue ser revolucionário só pelo fato de ter nascido após tantos anos em que o sexo feminino viveu e se limitou às sombras de afazeres domésticos. Mas calma lá! Na verdade já faz muito tempo que as mulheres exercem papéis fundamentais dentro das mais diversas áreas, exercendo papéis tão importantes quanto o dos homens.

Segundo uma análise da docente, ainda que há avanços na igualdade de gênero dentro da grade curricular do Estado, a história das mulheres continua secundária. Dentro da sala de aula, figuras como Dandara dos Palmares, guerreira negra que lutou contra a escravidão no período colonial, a psiquiatra Nise da Silveira e a militante Olga Benário, não costumam ser abordadas.

Com a ampliação de debates sobre tema e a criação do museu virtual Heroína Sem Estátua, inserido dentro da disciplina de Língua Portuguesa, os alunos podem enfim destacá-las e acrescentar histórias de tantas outras figuras femininas marcantes do Brasil e do mundo. Este é, certamente, um pequeno grande passo para a igualdade. Obrigada, professora!

Prof. Pilar

Professora Pilar

Stephanie Kwolek

museu heroinas sem estatua

Cora Coralina

cora

Madre Teresa

madre teresa

Dandara dos Palmares

Dandara

Angela Davis

Angela Davis, 1974.

Frida Kahlo

frida-khalo12

Nise da Silveira

nise