Nova galeria no Inhotim revela a história dos Yanomami por meio de belas imagens

Quem já ouviu falar sabe que Inhotim é praticamente um parque de diversões para adultos amantes da arte e da cultura. A 60 km de Belo Horizonte, o museu a céu aberto reúne um dos acervos mais importantes da arte contemporânea no mundo. Entre as suas atrações está a novidade Yanomami: a Galeria Claudia Andujar .

A Galeria Claudia Andujar reúne um acervo de mais de 400 fotografias que contam a história de seu longo envolvimento com a Amazônia e o povo indígena Yanomami, habitante de Roraima e Amazonas, na região próxima à fronteira com a Venezuela.

Claudia-Andujar-Arajani-1981-83-da-série-Marcados Claudia Andujar, Arajani, da série Marcados, 1981-83

O espaço organiza imagens de rituais xamânicos, cotidiano, paisagens e retratos do choque entre o índio e o homem branco – processo que levou ao engajamento da artista na luta pelos direitos dos povos indígenas.

Claudia-Andujar-Catrimani-1971-72 Claudia Andujar, Sem título, 1971-72, da série Catrimani

A fotógrafa nasceu na Suíça, já viveu na Hungria, nos Estados Unidos e em São Paulo. Hoje, é naturalizada brasileira e se identifica fortemente com a cultura do nosso país. Desde a década de 1970 se dedica aos povos da floresta e foi uma das fundadoras da comissão pela criação do Parque Yanomami, o maior território indígena de floresta no mundo, dedicado à preservação de grupos e tribos isoladas.

Grande parte das fotografias é inédita e foi selecionada e exposta pela primeira vez na Galeria Claudia Andujar, com o patrocínio do Santander a fim de aproximar a cultura das pessoas. Vale a pena visitar!

Claudia-Andujar-Sem-título-da-série-Catrimani-1971-72_alta Claudia Andujar, Sem título, da série Catrimani, 1971-72

claudia-andujar-paisagem Claudia Andujar, Urihi-a, 1976 claudia-andujar-indios Claudia Andujar, Maturacá, da série Ciclo da vida, 1970-71

Imagens: divulgação

selo artigo patrocinado