Debate

Festa infantil inspirada em cerimônia japonesa do chá acende debate sobre apropriação cultural

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Apropriação cultural e racismo são dois temas mais quentes, complexos e polêmicos nas relações humanas, e que hoje ganham intensa amplificação e participação no palco livre e amplo que é a internet. Se nas extremidades desses temas encontram-se crimes odiosos que lamentavelmente ainda se sucedem diariamente, na sintonia fina ao redor das minúcias e detalhes mais sutis dentro das relações entre diferentes culturas e pessoas, os limites parecem se borrar e se tornar difíceis de serem medidos. O caso da reação virtual à festa infantil que uma mãe deu para sua filha nos EUA, tendo a cultura japonesa do chá como tema, exemplifica bastante bem a complexidade, em certos casos, do assunto.

 

A foto da menina vestida de gueixa, com o rosto pintado de branco em um cenário estilizado com símbolos da cultura japonesa, foi postada no blog da mãe, e acabou circulando pela internet.

Uma usuária do Tumblr acusou a mãe de estar sendo racista ao praticar “yellow face” e de apropriação cultural – e um usuário japonês entrou com toda força no debate, para oferecer uma outra perspectiva ao tópico.

– Ensine às crianças que isso não é Ok.

– Ensine às crianças que não há problema algum nisso.

– Eu realmente não estou entendendo porque você acha que apropriação cultural seria ok, a não ser que você suponha que a menina na foto é parte japonesa.

    

– “Yellow face” mas ela está usando maquiagem branca no estilo tradicional, mas ok. Apropriação cultural não existe, querida. Culturas devem ser compartilhadas de toda forma.

– Eu discordo. A maquiagem claramente reflete a maquiagem tradicional das gueixas, que é yellow face e, logo, racista. Além do mais, a garota está vestindo um quimono, uma indumentária que há muito tempo carrega significado cultural. Supondo que ela é branca como você pode achar que isso é ok? E apropriação cultural não existe? Embaixo de qual pedra você vive? Eu sugiro que você se eduque sobre a diferença entre apreciação cultural e apropriação cultural.

– Eu sou japonês, no Japão nesse exato momento. As únicas pessoas que pensam que culturas não devem ser compartilhadas são racistas como você. A vasta maioria dos japoneses na verdade gosta que outras pessoas se esforcem para espalhar e apreciar a cultura japonesa, e encoraja isso. Muitos fazem negócios deliberadamente tirando fotos de pessoas vestindo quimono. Um presente comum para estrangeiros dos japoneses são as coisas tradicionais do Japão, como quimonos, jogos de chá, estátuas shisa, etc… 

– E, acima de tudo, basicamente 80 por cento dos costumes japoneses, tradições e comidas, vieram de outros países. A cultura japonesa é a integração de diferentes culturas, como a América. Japão tem influências de lugares como a Coréia, China, Rússia e Europa. Se o Japão ficasse somente em si mesmo, não teríamos tempura, chá japonês, cerimônias do chá, kabuki, pão japonês, curry japonês, J-Pop, anime, carros, ou as técnicas modernas de pesca. A foto não mostra “yellow face”, ninguém está debochando de asiáticos. Na verdade, parece que eles especialmente foram cuidados e pesquisaram para realiza-la.O único motivo pelo qual você tem um problema com a foto é porque a menininha é branca, e você sabe que é aceitável no tumblr esculhambar os brancos. A única racista aqui é você.

Outro usuário então respondeu: Uau. Ele acabou com ela.

E você, o quê acha? Vestir-se como alguém de outra cultura é ou não apropriação cultural? Qual a medida fina entre compartilhamento cultural, apropriação, admiração ou racismo?

© fotos: divulgação/reprodução


Redação Hypeness

Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Veja Também
Em vídeo, Skol prefere ser ‘Metamorfose Ambulante’ a ter a velha opinião formada sobre tudo