Entrevista Hypeness

Como Sasha Unisex transformou suas tattoos em sonho de consumo no mundo todo

por: Paulo Moura

Publicidade Anuncie


Entre os embaixadores da arte da tatuagem pelo mundo, você certamente pode contar com a presença cativa de Sasha Unisex. A jovem artista russa criou um estilo próprio e inconfundível de desenhos de aquarela coloridos e brilhantes que a transformaram em um ícone – ela chega a receber, em média, 400 pedidos de tatuagem por hora!

Sasha, que atualmente tem um estúdio em Roma, na Itália, esteve no Brasil na semana passada para participar do Pixel Show, um do maiores festivais de criatividade do planeta, e o Hypeness teve a oportunidade de bater um papo com ela.

Com quase 1 milhão de seguidores no Instagram, Sasha literalmente conseguiu converter a pele humana em uma tela, ao pintar sobre ela tal e qual faria sobre um papel. Para isso, antes de aplicar a tinta na pele, Sasha pinta primeiro uma aquarela da imagem que vai tatuar, o que acaba funcionando como um guia para o trabalho.

Ao contrário de muitos artistas da tatuagem, ela não delineia seus projetos com linhas negras, em vez disso foca no formato e no sombreamento, usando cores contrastantes para fazer com que as suas formas pareçam tridimensionais.

A artista lançou recentemente uma loja online de tattoos temporárias e acessórios (que aceita pedidos via email e whatsapp). Confira abaixo a entrevista que fizemos com ela em São Paulo:

Hypeness: Seu nome verdadeiro é Oleksandra Ianchukova. De onde vem o nome Sasha Unisex?

Sasha: Trata-se de um jogo de palavras que pode ser entendido em qualquer lugar. O pseudônimo Unisex enfatiza a versatilidade do meu nome, afinal Sasha, meu apelido, combina com ambos os gêneros: masculino e feminino.

Hypeness: Sabemos que você frequentou a escola de arte, mas quem foi seu tutor quando aprendeu a tatuar?

Sasha: Eu não destacaria uma pessoa em particular, pois não tive de fato um professor, mas inúmeros deles. Quando ingressei neste universo, me interessei, comprei o equipamento necessário e comecei a tentar algo sozinha. Em paralelo, procurei encontrar o maior número possível de pessoas que trabalhassem com tatuagens. Eles me ensinaram muito e tirei de cada um deles as coisas que eu precisava. Alguns me ensinaram sobre esterilização, outros me mostraram o caminho para se comunicar com os clientes, outros ainda me contaram as histórias de suas carreiras no negócio. Enfim, dessa maneira, passo a passo, tomando algo de cada pessoa que conheci, me fiz tatuadora. Conheci pessoas que destinaram suas vidas para a arte da tatuagem e foi isso que me inspirou muito para avançar e me desenvolver.

Hypeness: Desde o início de sua jornada com tatuagens você já mostra que está em busca um estilo único, o que as pessoas reconhecem atualmente. Porém, o caminho mais comum não seria passar por todos os estilos antes de procurar por um próprio?

Sasha: No começo, não tinha certeza do estilo em que queria trabalhar, então até tentei tatuagens da velha escola, realistas, pretas e cinzentas. Porém, logo cheguei à conclusão de que não queria trabalhar em nenhum dos estilos existentes. Foi muito difícil começar a desenhar meus próprios esboços porque eles não pareciam com mais nada e algumas pessoas simplesmente riram de mim, dizendo que não teria sucesso. Mas meus amigos me apoiaram muito e isso me ajudou a permanecer nesse caminho. Você sempre precisa perseguir seu objetivo.

Hypeness: O que mais inspira seu trabalho?

Sasha: Definitivamente, natureza e animais são uma fonte infinita de inspiração. De resto, com boa luz e bom humor, nada mais é necessário! Sou inspirada por tudo o que me rodeia. Tento encontrar beleza mesmo no que parece comum ao primeiro olhar.

Hypeness: Qual é a principal diferença entre desenhar no papel e na pele de uma pessoa?

Sasha: A diferença fundamental é que a pele humana é um organismo vivo, por isso o grau de responsabilidade é infinitamente maior. Você não pode amassar e simplesmente jogar fora, ou seja, você não tem direito ao erro. A pele humana é uma tela que respira, que se move, que congela, que sua, que se irrita, que arrepia. É um processo difícil que requer concentração e envolvimento completo. Quando você se acostuma a tudo isso, algumas coisas tornam-se menos complicadas, no entanto, desenhar na pele de uma pessoa sempre será um processo sagrado.

Hypeness: Estima-se que 15% das pessoas lamentam em algum momento de pelo menos uma de suas tatuagens. Seria essa a razão pela qual você começou a fazer tatuagens temporárias?

Sasha: A razão pela qual decidi criar tatuagens temporárias foi o fato de que há muitas pessoas de todo o mundo que querem ter uma tatuagem minha, mas nem todas as pessoas têm a oportunidade de vir ao meu estúdio e a minha vida inteira não seria suficiente para fazer tatuagens para todos. Não devemos, contudo, comparar tatuagens temporárias com tatuagens reais. Penso que as tatuagens temporárias são simplesmente divertidas, como num jogo. São feitas para testar uma determinada imagem ou cenário, e se adequam perfeitamente a temporadas na praias, sessões de fotos, festas temáticas. É possível mudar de roupa em alguns minutos. Já no que diz respeito às tatuagens reais, aconselho a levá-las mais a sério, porque se a decisão for tomada com cuidado, dificilmente a pessoa se arrependerá.

Hypeness: Qual o designer mais interessante ou tatuador que você tem acompanhado ultimamente?

Sasha: Recomendo alguns artistas que estou seguindo no Instagram: @amandawachob, @woodlucker, @nicolasvsanchez

Fotos no Pixel Show de autoria de Rodrigo Albuquerque


Paulo Moura

Jornalista paulistano que adotou o Rio de Janeiro como casa. Possui mais de 15 anos de experiência em comunicação corporativa e é sócio-diretor da Agência VIRTA. Apreciador de cerveja, comida ogra, mar e tudo aquilo que combina ou remete a ele.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Veja Também
Estes são os 15 documentários pré-selecionados para o Oscar 2018