Debate

A realidade das prostitutas de Bangladesh é retratada em fortes imagens

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Bangladesh é um dos poucos países muçulmanos onde a prostituição em bordéis registrados é legal. O Kandapara, em Tangail, tem cerca de 200 anos, sendo o mais antigo e um dos maiores da região. Foi demolido em 2014, mas logo foi reerguido com a ajuda de ONGs locais. Lá vivem e trabalham mais de 700 profissionais do sexo com seus filhos e cafetinas.

A maioria das mulheres foi traficada ou nasceu dentro do bordel e, assim, conseguiu seu sustento. Seus clientes são policiais, políticos, fazendeiros, pescadores, operários e grupos de adolescentes. O bairro do bordel é cercado por uma parede de dois metros. Nas ruas estreitas, existem barracas de comida, lojas de chá e vendedores ambulantes.

O Kandapara tem suas próprias regras e hierarquias, muitas vezes completamente diferentes da sociedade fora dali. O estágio mais vulnerável é quando uma jovem entra no bordel – ela é chamada de “bonded girl”. Oficialmente, elas devem ter 18 anos para começar a trabalhar, mas a maioria é menor de idade, tendo de 12 a 14 anos.

As garotas não têm liberdade nem direitos. Eles pertencem a uma senhora, a quem devem pagar suas dívidas, e não têm permissão para sair ou manter seu dinheiro. A partir do momento em que terminam de pagar o que devem, estão livres para deixar o bordel, mas como voltar – ou pisar pela primeira vez – em uma sociedade na qual são estigmatizadas e continuarem sustentando suas famílias?

O ensaio “The Longings of the Others” (A angústia dos outros), feito pela fotojornalista alemã Sandra Hoyn, retrata esta dura realidade em imagens intensas. A premiada fotógrafa foi selecionada pela LensCulture como um dos 50 maiores talentos emergentes, em 2014. Ela recebeu o Prêmio Henri Nannen de 2013 e, em 2012, conquistou o segundo lugar no IPA – International Photography Awards, na categoria de esportes editoriais profissionais. No mesmo ano, ela também foi premiada com três medalhas de prata pelo Prix de la Photographie, em Paris (Px3). Mais cedo, em 2009, ela recebeu o prêmio de mídia da Kindernothilfe e, em 2004, ganhou o Kodak Young Talent Award.

Confira o ensaio:

Pakhi, 15 years, and Mim, 19 years. Both are sexworker in the Kandapara brothel in Tangail.

Pakhi, 15 anos, e Mim, 19 anos são prostitutas no bordel Kandapara, em Tangail

Women waiting for customers.

Mulheres a espera dos clientes

Used condoms outside the brothel.

Camisinhas no entorno do puteiro

Mim, 19 years, is having a shower in the brothel.

Mim, 19 anos

Dipa, 26 years, is crying. She is in the 2nd month pregnant from a customer.

Dipa, 26 anos, está chorando. Ela está grávida de dois meses de um cliente

Five days old twins lie on the bed. They have not yet a name. Jhinik, 20 years, a sexworker in the Kandapara brothel gave birth to them.

Gêmeos com cinco dias de vida ainda não têm nome. Eles são filhos de Jhinik, de 20 anos

Rupa, 16, is dancing on the bed while a customer is filming her.

Rupa, de 16 anos, está dançando na cama enquanto um cliente a filma

Papia, 18, in the Kandapara brothel. Her parents died when she was a child, she was married young. Her husband and she took heroin, she has been in jail because of this. She says that the jail was the best place she has ever been, because nobody beats her there. In the jail she got to know a woman who brought her later to the brothel.

Papia, 18, no Kandapara. Seus pais morreram quando ela era criança, então se casou muito jovem. Foi presa por usar heroína com o marido e diz que a prisão foi o melhor lugar que ela já esteve, pois ninguém batia nela. Na prisão, ela conheceu uma mulher que a levou mais tarde ao bordel.

Papia, 18, with two customers.

Papia com dois clientes

Bonna, 27, a sexworker in the Kandapara brothel in Tangail, is fighting with another woman.

Garotas brigam no Kandapara

Kajol with her 6 month old baby Mehedi and a customer on her bed. She thinks she is 17 years but does not know her exact age. She was married with 9 years. Her aunt sold her to the Kandapara brothel. Two weeks after the birth she was forced to have sex again with customers. Because of the baby her business is not so good.

Kajol com seu bebê Mehedi, de 6 meses, e um cliente em sua cama. Ela acha que tem 17 anos, mas não sabe sua idade exata. Foi casada com 9 anos até sua tia a vender para o Kandapara. Duas semanas após o nascimento de seu filho, ela foi forçada a fazer sexo novamente com os clientes. Por causa do bebê, ela não consegue tantos programas

Kajol with a customer.

Kajol com um cliente

Bethe, 8 years, is playing with Yusuf. He is the regular customer (boyfriend) of Bonna. Bethe was born in the Kandapara brothel. She goes to school and works not now as a sex worker. Her mother wants her to start working as sex worker when she is 14 years.

Bethe, 8 anos, brinca com Yusuf, o cliente regular (namorado) de Bonna. Ela nasceu no bordel de Kandapara e por enquanto vai para a escola, mas sua mãe quer que ela comece a trabalhar como profissional do sexo quando tiver 14 anos

A customer try to kiss Priya, 19, on the cheek. Since she is 17 she is working as a sexworker in the Kandapara brothel in Tangail.

Priya, 19 anos, trabalha como prostituta desde os 17

Customers inside the Kandapara brothel in Tangail.

Clientes dentro do bordel Kandapara

Asma, 14 years, with a customer. She was born int the Kandapara brothel in Tangail.

Asma, 14 anos, com um cliente. Ela nasceu no bordel Kandapara.

Asma has stopped attending school because the students harass her because her mother work as sexworker in the brothel. She started working as a sex worker when she was 14 years old. Before she danced in front of customers.

Asma parou de frequentar a escola por que os estudantes faziam bullyng por sua mãe trabalhar como prostituta no bordel. Ela começou a trabalhar como profissional do sexo quando tinha 14 anos, mas antes ela já dançava para os clientes

Priya and Kajol are looking for music in Priya's room.

Priya e Kajol

Sumaiya, 17, with her boyfriend and regular customer Titu, 23, in the Kandapara brothel in Tangail. He is from Dhaka and visits ger every month one week. They are often fighting, because Titu wants to marry her, but she doesn't want. She is afraid that after marriage he will take away all her money. He is jealous, because she has sex with many of his friends. Sumaiya is jealous because he has sex with other sexworkers in the brothel.

Sumaiya, 17, com seu namorado e cliente regular Titu, 23 anos, no bordel de Kandapara. Ele é de Dhaka e a visita todos os meses, por uma semana. Eles estão freqüentemente brigando, porque Titu quer se casar com ela, mas ela não quer. Ela tem medo de que, depois do casamento, ele tire todo o dinheiro dela. Ele tem ciúmes que ela faça sexo com outros homens. Sumaiya fica com ciúmes porque faz sexo com outras prostitutas no bordel.

Sumaiya with her boyfriend and regular customer Titu.

Sumaiya was beaten by Titu.

Titu bate em Sumaiya e a deixa marcada

Pakhi, 15 years, with a customer in her room in the Kandapara brothel in Tangail. He came in a group of five men who all wanted to have sex with her one after another. These men left the room because they were too drunk. The man in the picture also left the room after this photo. The main reason was because Pakhi didn´t like him. But also because I was in the room.

Pakhi, 15 anos, com um cliente em seu quarto no bordel Kandapara. Ele chegou em um grupo de cinco homens e todos queriam fazer sexo com ela em sequencia. Os outros saíram da sala porque estavam bêbados demais. O homem da foto também saiu da sala depois desta foto. A principal razão foi porque Pakhi não gostou dele, mas também porque a fotógrafa estava no quarto.

Meghla, 23, with a customer in the Kandapara brothel in Tangail. She started working for a garment factory when she was 12 years old. There that she met a man who promised her a better job with more money and he sold her into a brothel.

Meghla, 23 anos, com um cliente no bordel. Ela começou a trabalhar para uma fábrica de roupas quando tinha 12 anos de idade. Lá, conheceu um homem que lhe prometeu um emprego que a pagasse melhor. Ele a vendeu para um bordel.

Fotos: Sandra Hoyn


Redação Hypeness

Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Marca é acusada de nazismo por coleção com Cruz de Ferro e uniformes militares