Fotografia

Série de fotos mostra refugiados e os objetos mais importantes de suas vidas

por: Jaque_Barbosa

Mais de 100 mil refugiados já cruzaram a fronteira entre o estado de Nilo Azul, no Sudão, e o estado do Alto Nilo, no Sudão do Sul. Passando fome, doenças e outras privações durante a viagem, alguns deles mostram ao fotojornalista Brian Sokol quais os objetos mais importantes de suas vidas.

Os números impressionam e as desumanas condições por que passam essas pessoas também. O drama dos refugiados no Sudão do Sul tem várias caras e Brian Sokol foi conhecê-las, acabando por criar o projeto The Most Important Thing. Nele os refugiados mostram o que conseguiram trazer na viagem e que é fundamental nas suas vidas. Nas fotografias se incluem objetos como recipientes de água e panelas. (Esse projeto lembra o ensaio que mostramos aqui no Hypeness de crianças com seus brinquedos ao redor do mundo, que também vale a pena conferir.)

BrianSokol1

Ahmed tem 10 anos e escolheu seu macaco de estimação, Kako. Ele não imagina sua vida sem o macaco, companheiro de viagem durante os cinco dias em que foram na traseira de um caminhão desde Taga até à fronteira do Sudão do Sul.

BrianSokol2

Haja, 55 anos, escolhe seu taupe, com o qual consegue transportar a neta, Bal Gaze.

BrianSokol3

Maria, de 10 anos, diz que o objeto mais importante que tem no momento é o recipiente de água.

BrianSokol4

Dowla, 22 anos, escolhe o poste de madeira que coloca nos ombros para transportar seus filhos, quando eles já não conseguem mais andar.

BrianSokol5

Com 85 anos, Torjam teve força para levar consigo essas duas garrafas de plástico, uma com água, outra com óleo para cozinhar. Conta que teve de deixar alguns idosos para trás.

BrianSokol6

Hasan não sabe ao certo a sua idade (terá entre 60 e 70), mas sabe que com essa carteira, agora vazia, conseguiu alimentar sua família durante os 25 dias de viagem até à fronteira do Sudão do Sul.

BrianSokol7

Shari, de 75 anos, escolhe a vara com que se consegue orientar. Há cinco anos, Shari cegou e, desde aí, só o filho, Osman, e essa vara lhe podem valer.

BrianSokol8

Taiba tem 15 anos e é uma das mais vulneráveis do grupo fotografado por Brian Sokol. Não conseguiu levar mais nada a não ser a roupa que cobre seu corpo. Perdeu o braço esquerdo devido ao tétano.

BrianSokol9

Magboola, 20 anos, escolhe uma panela, pequena o suficiente para transportar consigo, grande que chegue para dar de comer a ela e às três filhas.

BrianSokol10

Omar também não sabe a idade (entre os 60 e os 70, provavelmente) e escolhe o machado como objeto mais importante da sua vida. Com ele, Omar consegue cortar lenha para cozinhar. O machado serviu ainda para ajudar a construir pequenas estruturas de madeira, onde ele e a família puderam se abrigar e dormir.

Publicidade


Jaque_Barbosa
Poeira Estelar.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ela fotografou mulheres com seus gatos para combater o estereótipo da ‘louca dos gatos’