Inovação

Como o captcha que você digita na internet pode ajudar a digitalizar livros

por: Jaque_Barbosa

Quem nunca deu uma blasfemada ao ter que digitar um captcha na internet para poder baixar alguma coisa? Mas depois dessa notícia, você nunca mais vai olhar para um captcha da mesma forma – até pouco tempo atrás, as letras que você digitava não tinham utilidade nenhuma além de evitar fraudes. Pensando nisso, Luis von Ahn resolveu criar uma utilidade para elas.

Através do projeto ReCaptcha, toda vez que você digita alguma palavra, você está ajudando a digitalizar um livro. Isso mesmo, a gente explica como: existe um processo automático que digitaliza as obras para um formato digital, mas o sistema do computador tem dificuldades para entender algumas palavras de livros mais antigos. Então, essas palavras que o sistema não compreende são jogadas no Captcha, nós as reconhecemos e ajudamos o mundo a ter mais livros digitais. Para saber que o que escrevemos está correto, eles disponibilizam duas palavras: uma que o computador sabe e outra que ele não compreende. Ao acertar a que o computador já sabe, ele automaticamente entende que você também vai acertar a que ele não entende.

Pode parecer que as palavras que você digita são poucas, mas saiba que há mais de 200 milhões de ReCaptchas digitados por dia, o que dá a quantidade surreal de 5 milhões de livros por ano. Luis von Ahn explica tudo com mais detalhes no vídeo abaixo [em inglês]:

captcha-1

Publicidade


Jaque_Barbosa
Poeira Estelar.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Museu ‘drive-in’ permite contemplar obras de Van Gogh sem sair do carro