Arte

5 projetos que transformaram música e sons em novas representações artísticas

por: Vicente Carvalho

Publicidade Anuncie

A capacidade humana de se reinventar, encontrar novas possibilidades dentro de um universo abrangente é uma das coisas que adoramos mostrar aqui no Hypeness. Por isso, resolvemos fazer uma listar com pessoas que transformaram sons e músicas comuns em novos objetos e representações artísticas com resultados fascinantes.

1 – Transformando batidas do coração em música

O artista George Zisiadis sabe que o dia-a-dia em grandes cidades é stressante e muito barulhento, e para tentar fazer as pessoas olharem pra si mesmas e esquecerem um pouco da loucura do cotidiano, ele espalhou pelas ruas de Boston instalações com sensores que reconheciam a batida do coração da pessoa e transformava em música. Cada ritmo de batimentos gerava uma música nova e única, em um projeto chamado Pulse of the City, vejam as músicas e as reações das pessoas à elas:

pulse

pulse2

pulse3

2 – A música materializada em tinta

O artista Martin Klimas sempre foi um curioso em pesquisar imagens que traduzissem sons, e foi numa dessas pesquisas que teve a ideia do projeto que mostra os efeitos das vibrações e a música ao mesmo tempo. Ele passou mais de 1 ano fazendo o projeto,no qual colocava um alto-falante (devidamente protegido por uma membrana) virado pra cima, derramava as tintas em cima da membrana, e saia da sala. Colocava então o volume no máximo, e deixava as fotos por conta de um sensor instalado na máquina fotográfica que detectava os picos de som e fazia as fotos, sem intervenção de Martin. O resultado é bem interessante, veja as imagens que algumas músicas geram:

MartinKlimas2-652x870

“Run Run Run”, do Velvet Underground

MartinKlimas6-1-652x870

“On the Run”, do Pink Floyd

MartinKlimas9-652x869

“Bitches Brew”, do Miles Davis

Publicidade

Daft-Punk

“Around the World,” do Daft Punk

James-Brown

“Sex Machine,” do James Brown

klimas-2

 

3 – Fotógrafo usa vibrações sonoras para criar esculturas coloridas

O fotógrafo suíco Fabian Oefner  partiu do mesmo princípio que Martin Klimas (acima), isolando o alto-falante com uma película plástica, mas usou sais para materializar os sons das músicas em formas interessantíssimas. As formas que surgiam dependiam da frequência do som para parecerem mais intensas ou mais calmas, construindo assim uma ponte entre o mundo acústico e visual. Veja algumas imagens do projeto chamado “Cores Dançantes”, que já havíamos mostrado aqui:

cor

cor1

cor3

 

cor4

4 – Designer transforma as histórias que sua avó contava, em produtos high-tech

O arquiteto e designer Guto Requena tem um talento especial: a sensibilidade de juntar elementos antigos com grandes inovações contemporâneas. Esse é o caso dessa linha de produtos que ele fez, chamada “Era uma vez”. Ele transformou 4 histórias que sua avó contava pra ele quando criança, e capturou (através de um software) essas ondas sonoras geradas enquanto ela contava. Depois, reinterpretou-as com a ajuda de um software que ‘transformou’ a voz de sua vó nas curvas dos vasos. Para entender melhor veja esse vídeo, é fascinante o resultado, e carregado de simbolismo e significado:

guto_requena

guto_requena2

guto_requena3

guto_requena6

 

5 – Clipe de música feito inteiramente com tecnologia kinect

O cantor italiano Franco Battiato, 68 anos, continua experimentando e inovando em seus clipes. A partir da parceria com o estúdio criativo Sugarkane, o clipe da música “Quand’ero Giovane” é o primeiro produzido inteiramente com tecnologia Kinect, o sensor de movimentos usado em vídeo games. O resultado é interessante, vejam:

Sugarkane-sequence-1-thumb-620x435-58200

Sugarkane-sequence-2-thumb-620x426-58204

Sugarkane-sequence-3-thumb-620x396-58206

Sugarkane-sequence-4-thumb-620x391-58208

Publicidade Anuncie


Vicente Carvalho
Em busca da terra do nunca.


X
Próxima notícia Hypeness:
‘De Volta para o Futuro’ ganha versão musical e já tem data para estreia