Design

Uma carta para mim mesmo 10 anos atrás – por Maestro Billy

por: Eme Viegas

Uma carta para mim mesmo 10 anos atrás traz, todas as semanas, convidados das mais diversas áreas, convidando-os a compartilhar o que diriam se pudessem falar com a sua versão 10 anos mais nova. O que uma década de vida lhes ensinou? São dicas pessoais, da experiência de cada um, mas com as quais todos temos muito a aprender.

Convidado de hoje: Maestro Billy

Maestro por Maestro: Produtor musical, sócio-diretor do Estúdio Mellancia, DJ do Caldeirão do Huck. Formado em Publicidade, sempre trabalhou com áudio, seja em rádios como Transamérica e Jovem Pan, nessa última sendo um dos fundadores do Programa Pânico, seja em estúdio produzindo remixes e músicas para diversos artistas, ou seja atrás das pickups tocando “de tudo um pouco” nas tardes de Sábado no Caldeirão do Huck da TV Globo e em baladas pelo mundo todo.

E aí, Bilêra? Beleza?

Aqui quem lhe escreve é você mesmo, só que daí a 10 anos. Sim, você mesmo em 2014 pra você mesmo em 2004. Deu pra entender? Vamos facilitar as coisas nos tratando por “nós”. Tô aqui pra nos dar algumas dicas que irão facilitar nossa vida nesses 10 anos.

Provavelmente você aí, em 2004 com seus 32 anos, está sentado no seu próprio estúdio, na frente de um computador, montando jingle/spot de rádio/paródias musicais/vinhetas, achando que a vida “é isso aí mesmo, tá bacana assim”, mas mesmo assim você acha que está ganhando pouco e trabalhando muito. Confere? Então. Não é bem isso que vai acontecer com a gente.

Se você está aí achando que aos 32 anos está tudo resolvido, esquece. hahah Estou te vendo sem dormir por umas 4 noites pensando sobre isso. Pra que isso não aconteça, vou te contar o que vai rolar.

Primeiro e mais importante de tudo:

Agora em maio, a Estela nasce. O barrigão da Mafê tá enoooooorme. E a Estela vai ser uma figura. Demais. Super companheira, amigona, divertida, inteligente, engraçada. Tipo a Vick, só que diferente em alguns aspectos. Mas vai ser demais. Você vai pirar no esquema de pai. Uma dica importante sobre a Estela: já ensina ela a ir pra cama cedo. Mesmo.Dá seu jeito. Manda ela ler um livro, qualquer coisa. Se não ela vai ficar flanando pela casa até depois da meia noite. O que não é legal. Só isso.

De resto, eduque-a como educou a Vick. Fala de igual pra igual, explica as coisas como elas realmente são e não tenha medo dela não entender. Ela vai entender tudo, e vai ser uma menina mega bacana.

Segundo:

Quero que você anote algumas palavras que vão ser bem úteis na sua vida profissional. Se você acha que do jeito que está já está bom, repense. Dá pra melhorar e muito.

Vamos às palavras:

– Podcast. Essa palavra nem existe em 2004, mas agora aí no final do ano você vai descobrir o que é porque um cliente vai te pedir e você também não vai saber o que é. Mas corre atrás. Muito. Isso é importante MESMO. Podcast. Pó-di-qués-te. Lembra que você, quando trabalhava em rádio ainda, sempre quis ter seu próprio programa e sair um pouco só da produção? Apresentado por você, com músicas escolhidas por você? Mas que os diretores artísticos nunca te davam a chance? Então. O podcast é meio isso, só que mais. Muito mais.

Você não vai ganhar um tostão com esse lance de fazer seu programa do jeito que você quer, mas se pensar grande e contar muito com a ajuda da Mafê você pode começar a vender essa idéia para marcas! Bobeou você até faz o primeiro podcast corporativo no Brasil (fica a dica: é de uma coisa que você gosta e muito: cerveja). Então corre atrás, descobre tudo. Desde como programar, subir arquivo, postar, etc.

Você vai conhecer um monte de gente bacana que faz podcast também e aquilo que eu disse lá no começo de que sua vida profissional “não é bem isso que vai acontecer com a gente”  é por aí que a mudança vai começar. Podcast.

Outra palavra – Audio-Livro.

Parece trabalho escravo, nesse mesmo lance aí que você tá passando agora de muito trabalho e pouco dinheiro. Gravações intermináveis, edições sem fim, sonorizações cansativas. Mas vai surgir numa boa hora da sua vida.

E aí vem uma boa e uma má notícia

A boa primeiro: 2007. Em 2007 nós finalmente vamos mudar o estúdio pra uma casa. Com dois estúdios! Um só de locução e outro pra instrumentos e tudo mais. Legal né? Vai ser demais. Outra vibe trabalhar na casa.

A má notícia agora: 2008. Não quero te desanimar mas 2008 vai ser um saco. Uma tal de crise internacional, da bolha-imobiliária-de-não-sei-aonde vai estourar e vocês vão ter que correr muito mais atrás de tudo. Tipo começar tudo do zero. De novo. Mas é aí que entra o Audio-livro. Não pela grana nem pela quantidade de trabalho. Você vai pegar pra pagar as contas mesmo. E vai ralar muito. Só que um livro lá vai mudar o jeito como você e a Mafê se relacionam com dinheiro.

Não vou dizer qual é o livro pra não estragar a surpresa. Pegue todos os livros que conseguir, mesmo que canse gravar, editar, etc. Só por esse livro.

Mais uma palavra: Binaural.

Sim, procura aí no Google (já tem né?) o que quer dizer. Aquele esquema de áudio 3D no fone de ouvido, sabe?

O Pearl Jam tem um disco assim. Ouça. Em 2008, nesse ano aí que vocês vão se ferrar, pense em binaural. E corra atrás pra aprender como faz. Isso, mais uma vez, não vai te dar dinheiro nenhum no início. Mas é mais um lance bacana de áudio que você deve fazer pra colher os frutos mais pra frente. Bobeou você também faz o primeiro binaural do Brasil. Infelizmente não é de cerveja. hahahaha

Aliás, dica geral:

Entra de cabeça em tudo que você puder e quiser que seja relacionado à audio. Tudo. Desde click de botão de site até trilha orquestrada. Juntando tudo isso você chegará aqui em 2014 com uma bagagem respeitável e por isso mesmo sendo respeitado e uma referência no que faz.

Outros conselhos e dicas gerais:

– Esse lance de padronizar trilhas bacanas para vários momentos do Caldeirão vai dar super certo. E o frio na barriga antes de gravar não vai passar. Sim, em 2014 você ainda estará no Caldeirão, fazendo muito mais do que você faz hoje em dia. Legal pelo reconhecimento e pela participação em tudo. Vai fundo.

Viagens

Não demore tanto pra viajar mais pra fora do país. Se der tente pelo menos uma vez por ano. Nem que seja pro Chile aqui do lado, que é bem legal. Sua sanidade mental em 2014 agradece. Outra coisa. Sabe aquela viagem pro Japão que você sempre quis fazer? Então… não só vai pra lá mas vamos pra tocar pra uma galera incrível! E não só uma vez, mas três.

DJ

Vai ensaiando as viradas aí nessa sua vida de DJ. Inventa uns esquemas novos de tocar com 4 CDJs ao mesmo tempo, mistura todos os ritmos e estilos possíveis porque é aí que você vai se sobressair. E viajar pelo mundo tocando. Pense em migrar pra controladora também. Facilita na hora de viajar.

– Sobre DJ ainda. Você vai tocar pra 45.000 pessoas! Legal né ? Tudo bem que elas estão lá pra ver a Beyoncé, mas você vai tirar onda e agitar a galera antes dos shows da Beyonce aqui no Brasil. Isso vem de tudo que eu disse aqui, de ouvir musica, aprender tudo, etc, etc.

– Esquece esse lance de produzir disco de artista. Isso não dá dinheiro pra você. Vai pros remixes. Faça um monte deles até começar a fazer suas próprias tracks. Peça ajuda de gente bacana que tenha afinidade com você musicalmente falando.

– Falando em viagem e trabalho, pense num estúdio pra caber dentro de uma mochila. Chega daquele monte de botão e luzinha que não serve pra nada. Tem que ser prático e fácil de carregar. Leve esse conselho pra todo equipamento que for usar.

Leituras e estudos

Continue. Mais do que você está fazendo hoje em dia. Não se acomode. Como eu te disse antes. Vá atrás pra descobrir e aprender o tudo que quiser. Pode não dar em nada de imediato, mas vai dar no longo prazo. Informação é tudo. Continue ouvindo todo tipo de música também. Importante isso.

Reality show

Sabe o BBB? Então, você vai fazer parte de um. Não, você não vai emagrecer e ficar de sunga em volta de uma piscina. Muito pelo contrário. Em 2013 vai ser um lance sobre DJs, que você será o “mentor” de um grupo que vai batalhar com outro, e onde você vai conhecer e retomar contato com DJs incríveis. Gente bacana que faz tempo que você não vê e gente bacana que você ainda não conhecia. Certeza que vai mudar sua cabeça. E novos projetos surgirão disso. Continue no lance de ouvir tudo, pesquisar, etc..

Dinheiro

O lance de “trabalhar menos, ganhar mais” não vai rolar. Infelizmente. Mas fica frio. Você não vai mais fazer jingle de 500 reais.
Até porque o foco todo do estúdio vai mudar com esses lances todos aí de cima. Você vai continuar trabalhando muito e a grana aparece em algum momento. Não se preocupe. Como nós mesmos dizemos, “tudo vai dar certo no final. Se não deu certo é porque não chegou no final“. Onde a gente leu isso mesmo?

Casamento

Sim, você acertou em cheio. A Mafê é a mulher da sua vida. Keep on. Aliás, a sociedade com ela vai dar super certo também. Esse lance de “eu crio, ela cobra” funciona, mas às vezes deixa ela dar palpites nos trabalhos. Ela tem uma visão de cliente que a gente não tem. Aí quem sabe a parte do “trabalhar menos” funciona, até pra ter menos refação… hahahahaha.

– Quando aquele PC caro que você comprou travar (mais uma má noticia, né? ahah) e você perder todo seu HD com todos os jobs (calma que depois recupera, mas vamos morrer numa grana) nem pense em comprar outro PC. Vai pro Mac logo. E faz 3 backups SEMPRE de tudo que você tem de job.

– Faça algum esporte. Capoeira não. Você não serve pra coisa. Pensa mais num Tai-Chi ou Kung Fu. É bacana. Nosso corpo agradecerá se você continuar a fazer mesmo depois que vocês mudarem da casa do estúdio (eu acho que não continua por muito tempo, mas tudo bem).

– Por falar em mudar de casa, vocês vão construir uma casa no interior. Do jeito que vocês querem. Usem sem dó, sempre que puderem. Levem os amigos. Mas também não se apeguem muito. Se chegar a hora de vender, vendam sem dó também. E não abaixem o valor! Uma hora vende. Na hora certa.

– A grana que você gasta atualmente na MegaSena é melhor guardar e comprar em cerveja.

Cerveja. Lembre-se.

– Não fique “nervosinho”. Não adianta absolutamente nada.

– Sorria e seja feliz.

– E lembre-se sempre daquilo que você já diz aí em 2004. A gente tem 2 orelhas e 1 boca pra ouvir duas vezes mais do que fala. E quanto mais a gente trabalha, mais sorte a gente tem. Simples.

Continue assim.

Tudo de bom,

Billy.

faixa-carta

Publicidade


Eme Viegas
Trabalho com internet e meu escritório é na praia.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Adolescente cria dispositivo para aliviar dores nas orelhas de profissionais da saúde