Criatividade

E se você pudesse transformar o seu amor em uma melodia?

por: Jaque_Barbosa

Dentre todos os órgãos que constituem nosso corpo, existe um que parece mais forte do que nós próprios, impossível de controlar, com suas vontades e certezas, que por vezes nem nós sabemos explicar. O coração é o motor da nossa vida. Agora imagine que a forma como ele se expressa quando você sente amor, pudesse ser traduzida em uma música.

Foi esse o desafio lançado ao música Lucas Lima – ir a um casamento real e monitorar, por meio de frequencímetros, os batimentos cardíacos dos noivos, pais e padrinhos. Um misto de emoções, com o amor como ponto comum, num dos momentos mais marcantes da vida de qualquer ser humano.

“Na Batida do Coração” é o resultado final desse trabalho, que obrigou ao uso de mais de 20 instrumentos, para dar música a cada emoção. “Passei dias quebrando a cabeça tentando imaginar o clima do filme, o visual, uma maneira de usar o batimento como base da composição de uma forma delicada e criativa. Gosto muito de começar composições a partir de elementos não-musicais, mais abstratos. Criar a partir de uma batida de coração foi bem desafiador”, diz Lucas Lima, produtor do projeto.

Entre seis violinos, seis violas, quatro violões, duas guitarras, baixo, bateria, Marxophone, piano, piano de brinquedo, flauta transversal, teclados, dois instrumentos de percussão e palmas, a Becel conseguiu uma campanha incrível, como você pode conferir no vídeo abaixo:

E para quem, como nós, ficou curioso pra ouvir a música completa, basta ir neste link e fazer o download gratuito da canção. Nós já ouvimos e podemos garantir: o resultado valeu bem a pena.

Becel_1

Becel_2

Becel_3

Becel_4

Becel_5

Becel_6

Para acompanhar todas as novidades da Becel, clique aqui.

artigo_patrocinado

Publicidade


Jaque_Barbosa
Poeira Estelar.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Cartilha do sexo na quarentena é lançada em NY: ‘Você é o seu parceiro mais seguro’