Roteiro Hypeness

9 motivos para programar sua próxima viagem para Inhotim

por: Paulo Moura

Publicidade Anuncie

De Belo Horizonte para Brumadinho gasta-se pouco mais de uma hora de carro. A estrada não é das melhores, a vegetação é seca e, nessa época do ano, há muitas queimadas no caminho. Conforme você se aproxima, começa a duvidar um pouco de tudo o que falam sobre Inhotim. Será possível mesmo algo tão incrível ali praticamente no meio do nada?

Pois é, não só é possível, como vai além de tudo o que já falaram. Convidamos você a embarcar com o Hypeness nessa viagem por um dos lugares mais inspiradores do planeta!

inhotim-18

Não faltam adjetivos para referenciar Inhotim, contudo um que nos parece ser o mais apropriado para resumir o que se encontra ali sob todos os aspectos é: grandiosidade. São mais de 700 hectares de mata nativa preservada, com 96 hectares disponíveis para visitação. Natureza e arte, sob a forma de instalações, esculturas e pinturas, tomam cada canto e aguçam todos os sentidos.

InhotimExtra

inhotim-20

Um dia é pouco para conhecer tudo o que tem por lá e o percurso a pé exige bastante – recomenda-se comprar o passe que permite usar os carrinhos para percorrer as ladeiras mais íngremes.  São basicamente três rotas (amarela, laranja e rosa) e, ao todo, o acervo conta com mais de 500 obras de cerca de 100 artistas de pelo menos 30 nacionalidades diferentes.

Não cabe aqui entrar no mérito das obras, mas sim indicar algumas razões que por si só justificam a visita, sobretudo na ótica de um leigo:

1) Para onde quer que se mire, uma vista mais impressionante

Para quem reside em espaços urbanos como São Paulo, onde em geral o mais distante que se consegue avistar é a fachada do prédio da frente, o parque propicia uma genuína sensação de libertação. É ‘verde’ que não acaba mais e tudo é tão bem cuidado, sobretudo no entorno dos lagos ornamentais próximos à entrada, que parecem aquelas paisagens de fundo de tela que a gente baixa no computador.

inhotim-1

2) Sem pose e sem frescura

Muitas vezes nos sentimos verdadeiros estranhos no ninho ao visitar um museu ou uma galeria de arte, seja pela formalidade do ambiente, seja pela faceta arrogante de alguns frequentadores. Em Inhotim, isso definitivamente não acontece. A disposição das galerias e sua ambientação, em geral, é bastante informal, sem contar a proposta interativa de grande parte das obras – ‘sim, pode tocar, mexer, pular, deitar em cima…’ Exemplo clássico é a piscina que recria uma caderneta de endereços do artista Jorge Macchi, onde você pode de fato entrar e tomar um mergulho para se refrescar.

inhotim-2

3) Porque somos curiosos

Somos o tempo todo levados a vivenciar experiências em Inhotim. Os artistas, em geral, não são famosos para o grande público, mas suas obras invariavelmente cativam a nossa curiosidade. A instalação Sonic Pavilion de Doug Aitken (falamos dele aqui), por exemplo, só pela fachada futurista já chama a atenção. Quando se lê a proposta, então, não se pensa duas vezes antes de correr lá para dentro: “… Trata-se de abrir um furo de 200 metros de profundidade no solo para nele instalar uma série de microfones e captar o som da Terra”.

inhotim-3

4) Uma fantástica experiência sonora

Imagine a sensação de se sentar no meio de uma enorme galeria, fechar os olhos e apreciar sons de corvos, tambores e marchas vindos de quase 100 auto-falantes numa escala crescente, até o ponto de se sentir praticamente rangendo dentro do nosso corpo! Pois é, não dá para traduzir, só mesmo visitando in loco as instalações sonoras de Janet Cardiff para saber o que isso é.

inhotim-4

5) Uma diversão democrática

Criança é o que não falta no parque, até porque tem muitos atrativos para elas. Um dos que mais chamam a atenção é a instalação de Marilá Dardot num enorme jardim, em que se podem plantar vários tipos de sementes em vasos de cerâmica em forma de letras. Pense na folia!

inhotim-5

6) Tudo muito colorido

Um dos maiores xodós de Inhotim são os três fuscas coloridos estacionados. Outra obra que chama atenção de longe é o Magic Square de Oiticica – o quadro que virou uma enorme instalação labiríntica à beira do lago. Para terminar a lista, não poderia faltar o ambiente criado pelo artista Cildo Meireles, onde toda a decoração e os móveis são ‘vermelho-sangue’.

inhotim-6

inhotim-7

inhotim-6,5

7) Aromas e sabores

O Jardim de Todos os Sentidos é um espaço em forma de mandalas que contém uma incrível variedade de plantas medicinais e aromáticas. É possível sentir a diversidade de aroma e sabores de ervas e temperos, além das cores, formas e texturas das espécies exploradas.

inhotim-8

inhotim-9

8) Um tributo ao melhor da nossa arte contemporânea

As galerias dedicadas aos artistas brasileiros Tunga e Adriana Varejão são imensas em tudo: cores, formas, sons, sentidos e percepções. Você não precisa ser entendido de arte para se sentir impactado.

inhotim-10

InhotimExtra1

9) O gigantismo de tudo e… nós

É legítimo pensar que algumas obras de Inhotim foram criadas (também) com o propósito de nos colocar no nosso devido lugar. Ao se aproximar de algumas esculturas e instalações, não tem como não se sentir impressionado… e um pouquinho mais humilde.

inhotim-12

InhotimExtra2

InhotimExtra4

inhotim-15

Todas as fotos © Paulo Moura

Para ver outros roteiros feitos pelo Hypeness, clique aqui.

Publicidade Anuncie

Foto da capa/site: divulgação


Paulo Moura
Jornalista paulistano que adotou o Rio de Janeiro como casa. Possui mais de 15 anos de experiência em comunicação corporativa e é sócio-diretor da Agência VIRTA. Apreciador de cerveja, comida ogra, mar e tudo aquilo que combina ou remete a ele.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Latam lança descontão com passagens a partir de R$ 89