Inspiração

A história do empresário brasileiro que já chegou a dormir na rua e que hoje fatura bilhões

por: Redação Hypeness

Em cada um dos mais de 220 escritórios da agência de viagem Flytour há um sofá de dois lugares. Segundo Eloi D’ávila, fundador da empresa, isso faz com que ele se lembre, todos os dias, de onde saiu. Aos 8 anos de idade, o garoto fugiu de Porto Alegre, onde morava com a irmã e o cunhado e vendia pastéis no Aeroporto Salgado Filho. Ele não sabia, mas partiu rumo a uma aventura de sobrevivência e aprendizado por São Paulo e Rio de Janeiro, que o levaria a abrir sua própria empresa, hoje com um faturamento bilionário. Em um projeto da Endeavor, organização não-governamental que estimula o empreendedorismo, Eloi D’Ávila conta em uma palestra emocionante sua inspiradora trajetória como empreendedor.

Entre idas e vindas de São Paulo a Porto Alegre, fugindo do cunhado alcoólatra que o maltratava e do Juizado de Menores, Eloi não mediu esforços para sobreviver. Trabalhou como engraxate, vendeu jornais e roupas, lavou carros e até fez bico em uma padaria, onde se meteu em uma confusão com o padeiro e acabou perdendo os dentes da frente depois de levar um soco na boca. Morou na rua, em um albergue debaixo do viaduto, e até hoje leva consigo as marcas de cigarro que usavam para o acordar. Na Praça da Sé, encontrou Seu Manuel, um aposentado que o levou para casa, onde ajudou a arear panelas, lavar o pátio e cuidar de crianças. Tinha 11 anos, uma boa lábia de vendedor e o mundo pela frente. Eloi decidiu partir para o Rio de Janeiro com dois amigos. A viagem o chamava.

Na Cidade Maravilhosa, o garoto cuidava de carros em frente ao Copacabana Palace e foi lá que teve um encontro marcado com a sorte. Após ficar amigo de um dos motoristas de van de turismo, foi apresentado à Vovó Stella, como era conhecida Stella Barros, fundadora de uma das maiores empresas de turismo do país. Eloi começou a dormir em um sofá de dois lugares que havia no escritório da agência, Stella o levou para consertar os dentes e o ensinou a falar o Português padrão – nada de “carça” ou “soldado”, brinca ele. Assim teve a oportunidade de ser office boy, profissão que exerceu até os 17 anos e através da qual consolidou sua paixão por viagens e pelo mercado de turismo.

eloi-davila3

Depois disso, Eloi D’Ávila voltou para São Paulo, trabalhou em banco, em uma companhia aérea, na rodoviária, casou-se, perdeu o emprego, mudou-se e, em 1974, decidiu abrir sua própria empresa. A EDO Representações vendia bilhetes aéreos para a LAP (Linhas Aéreas Paraguaias). Foi o início da Flytour, uma empresa que atualmente tem 2.700 funcionários e que fatura, anualmente, R$ 4 bilhões. “A arrogância é a maior ignorância de alguém”, afirma Eloi, que saiu da escola padrão aos 8 anos para ser PhD na escola da vida. A coleção de mais de 4.500 crachás de cursos e palestras que dá e participa formam seu diploma e cada dificuldade por que passou ajudaram a formar seu sucesso

Assista, na íntegra, a palestra de Eloi D’Ávila para o projeto da Endeavor:

eloi-davila4

eloi-davila5

eloi-davila8

eloi-davila9

eloi-davila1

eloi-davila2

eloi-davila7

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Vídeo mostra coala aos prantos sendo salvo de incêndio em floresta