Inovação

8 razões que fazem da Nova Zelândia um dos lugares mais inspiradores do mundo

por: Andre Pupo

Quem trabalha nas áreas relacionadas a criatividade sabe como é importante encontrar fontes abundantes de inspiração. Coisas, situações, referências ou lugares que sejam capazes de acionar o botão restart na nossa mente, enviando todos os arquivos inúteis para a lixeira. Por isso o Hypeness está viajando pelo mundo em busca desses santuários sagrados, e dessa vez nossa parada foi no sudoeste do Pacífico, mais especificamente na Nova Zelândia.

Esse Santo Graal da inspiração fica bem mais perto do que você imagina e seu universo é farto de referências fantásticas. Selecionamos 8 para você beber dessa fonte.

1. Paisagens de cinema

Apesar de ser um clichê quando falamos em Nova Zelândia, você só vai descobrir o verdadeiro poder inspirador dessas paisagens quando estiver nelas. Fica fácil entender os caminhos criativos percorridos por Peter Jackson para transformar os livros de J.R.R. Tolkien, “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”, em uma mega produção cinematográfica. Pare de se contentar com seu protetor de tela e experimente respirar a atmosfera de uma landscape de verdade.

paisagem1_interna628

paisagem10_interna628

paisagem2_interna628

paisagem3_interna628

paisagem4_interna628

paisagem5_interna628

paisagem6_interna628

paisagem7_interna628

paisagem8_interna628

paisagem9_interna628

2. Weta e galerias de arte em Wellington

Wellington é a capital criativa da Nova Zelândia e check-in obrigatório na rota da inspiração. Comece pirando sua cabeça no WETA, estúdio especializado em efeitos especiais e vencedor de 5 Oscars na categoria, que tem entre seus fundadores Peter Jackson e Richard Taylor. O lugar é essencial se você quer entender um pouco mais da mágica por trás das câmeras nas trilogias O Senhor dos Anéis e O Hobbit, ou simplesmente para apreciar uma centena de outras referências criativas e ícones da cultura geek. Finalize desbravando as galerias de arte contemporânea da cidade, como The Dowse Art Museum, entre muitas outras.

wellington1_interna628

wellington2_interna628

wellington3_interna628

wellington5_interna628

wellington4_interna628

wellington6_interna628

wellington8_interna628

wellington7_interna628

wellington9_interna628

3. Hobbiton

O set de filmagens da trilogia “O Hobbit”, localizado em Matamata, é um verdadeiro santuário de culto a natureza, recebendo o cuidado de jardineiros 365 dias por ano – mesmo quando as filmagens não estão acontecendo. Você pode relaxar caminhando entre as casas dos Hobbits e terminar experimentando a gastronomia típica da Terra Média no Green Dragon – locação da animada taverna dos filmes.

hobbiton1_interna628

hobbiton2_interna628

hobbiton3_interna628

hobbiton4_interna628

20141103_133742_13

hobbiton5_interna628

hobbiton6_interna628

hobbiton7_interna628

hobbiton9_interna628

hobbiton10_interna628

hobbiton12_interna628

hobbiton13_interna628

4. Bungyyyyy

Nada melhor para sacudir as suas ideias do que um salto noturno no berço do bungy jumping. Estivemos na AJ Hackett Bungy para uma experiência no mínimo alucinante. A ponte de salto (Kawarau Bridge) possui 43m de altura e está cercada por uma paisagem maravilhosa. Se você prefere não pular, o local possui um restaurante equipado com bar e lounge, oferecendo enorme variedade de pratos e bebidas, além de um telão que transmite todos os saltos ao vivo.

bungy1_interna628

bungy2_interna628

bungy4_interna628

bungy3_interna628

bungy5_interna628

bungy6_interna628

bungy7_interna628

5. A vibe da montanha

Não existe melhor remédio para um bloqueio criativo gerado pela cidade grande do que a vibe da montanha. Pegue as trilhas em Queenstown para abrir a sua mente a bordo de um jipe ou pedalando uma bike. E leve algo para anotar suas ideias pois esse lugar é um fortíssimo estimulante natural para o seu cérebro. Experimente a vista privilegiada para o lago Wakatipu e para a cordilheira The Remarkables, além de um rolê em Paradise (Glenorchy), distrito rural que também serviu de cenário nas trilogias “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”.

20141104_174640

montanha2_interna628

montanha3_interna628

montanha4_interna628

montanha5_interna628

montanha6_interna628

montanha7_interna628

6. A exposição de aviação de Peter Jackson

No incrível Omaka Aviation Heritage Centre, um museu na região de Blenheim (Marlborough), você vai encontrar uma exposição com a “pequena” coleção de aeronaves da Primeira Guerra do diretor Peter Jackson. Mesmo que você esteja longe de ser um fã de aviação histórica, vale muito a pena conferir. O cuidado com a direção de arte está em cada detalhe, e o local esbanja referências vintage. O museu é repleto de memorabilia raríssima e oferece uma experiência “3D analógica”, com aeronaves reais expostas dentro de uma cenografia primorosa com esculturas hiper-realistas.

(os sets que contextualizam as aeronaves levam assinatura do multi-premiado Weta Workshop e da WingNuts Films)

aviacao1_interna628

aviacao2_interna628

aviacao3_interna628

aviacao4_interna628

aviacao5_interna628

aviacao6_interna628

aviacao7_interna628

aviacao9_interna628

20141107_095037

aviacao8_interna628

7. Vinhos

Um bom vinho sempre é fonte garantida de inspiração, e na Nova Zelândia não faltam boas opções da bebida. Apesar de ser um player relativamente novo nesse mercado se comparado a produtores tradicionais como a França, pelo que experimentamos o país tem tudo para se tornar um dos melhores – senão o melhor produtor mundial desse néctar da felicidade. A geografia e clima favorecem safras de altíssima qualidade. Bebemos diretamente da fonte e recomendamos exemplares de vinícolas como Amisfield (Otago, Queenstown), Wairau River (região do rio Pelorus, Marlborough) e Woollaston (Mahana, Nelson), onde além de vinhos você poderá apreciar o maior acervo particular de arte moderna do país, na Mahana Art Gallery (uma galeria com vista para os vinhedos bem no meio da propriedade).

vinho0

vinho1_interna628

vinho2_interna628

vinho3_interna628

vinho4_interna628

vinho5_interna628

vinho6_interna628

vinho7_interna628

vinho8_interna628

8. Arte e cultura Maori

Em Rotorua tivemos o prazer de conhecer os Maoris, povo nativo da Nova Zelândia que compõe 15% da populacão. Sua cultura é uma referência riquíssima em inspiração. Ta moko, a tradicional tatuagem Maori que possui estilo único, é apenas um exemplo do potencial criativo que você vai encontrar por lá.

maori1_interna628

maori3_interna628

maori2_interna628

maori4_interna628

Quer ainda mais inspiração? Dá uma olhada no site da Nova Zelândia em português: www.newzealand.com/br

Publicidade

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Nasa lança perfume com ‘aroma do espaço’ para viajar sem sair do lugar