Fotografia

100 dias de solidão: para fugir da destruição em Gaza, fotógrafa cria mundo de fantasia em seu quarto

Redação Hypeness - 23/03/2015 | Atualizada em - 22/03/2015

O Hamas puxa de um lado e o exército israelense destrói de outro. Assim é Gaza, palco de um dos mais sangrentos conflitos da atualidade. Para fugir da guerra que a cerca, a artista palestina Nidaa Badwan, de 27 anos, decidiu se isolar em seu próprio quarto, onde se fez prisioneira por mais de um ano. Nas paredes azul turquesa, ela criou seu mundo à parte e registrou seus sonhos em uma série tocante intitulada 100 dias de solidão.

Foi muito mais que 100 dias, contudo, que Nidaa passou longe do terrível mundo que a cercava. Usando objetos da própria casa, ela criou fotografias marcantes que revelam sonhos e personagens que a realidade não a permitiu conquistar. Cada um dos autorretratos demorou semanas para ficar pronto, uma vez que Nidaa busca sempre a luz e a composição ideais, fazendo da foto uma quase pintura.

Nos últimos 15 meses, saiu de casa apenas duas vezes e fez questão de ter consigo seus óculos escuros e fones de ouvido: não é isso que deseja para si. Confira algumas das 14 imagens da série:

nidaabadwan

NidaaGaza

NidaaGaza4

NidaaGaza2

NidaaGaza3

NidaaGaza7

NidaaGaza6

NidaaGaza5

nidaabadwan2

nidaabadwan3

nidaabadwan4

nidaabadwan5

nidaabadwan6

nidaabadwan7

nidaabadwan8

Todas as fotos © Nidaa Badwan

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Foto “inédita” mostra a visão do astronauta Buzz Aldrin, da Apollo 11, na Lua 52 anos depois