Viagem

Aeroporto abandonado se transforma no maior parque de Berlim

por: Redação Hypeness

O antigo aeroporto Tempelhof, em Berlim, carrega consigo uma longa história, passando pela Primeira Guerra Mundial, chegando a Segunda Grande Guerra e continuando no auge entre 1950 e 1970 como um dos mais importantes do mundo. Após fechar as portas, em 2008, ficou abandonado mas ganhou nova vida com a ocupação popular, que o transformou no maior parque da cidade.

Num espaço de 2,5 hectares, o espaço que abrigou o terminal sediava desfiles militares entre 1720 e 1914, quando se iniciou a Primeira Guerra Mundial. Ao final do século 19, o aeroporto serviu para exportar mais de nove toneladas de correspondências e levou 155 pessoas para fora da cidade. Após o primeiro voo de uma aeronave motorizada e orientada em seu território, foi designado como aeroporto em 1923 e ficou em atividade até 2008, sendo ampliado por Adolf Hitler a partir de 1933.

Depois da desocupação, foram reaproveitados 386 hectares de espaço aberto, onde agora há uma ciclovia de seis quilômetros, pista de corrida e skate, uma área para churrasco, um campo de passeio de cães de quatro hectares, além de um enorme espaço para piqueniques. Para não dizer que aviões deixaram de ser vistos por lá, agora eles surgem em formato de brinquedo, dividindo espaço nos céus junto com as pipas.

Vale a pena vir nessa viagem pelo tempo:

Tempelhof3

Tempelhof7

Tempelhof5

Tempelhof4

Fotos via

Tempelhof

Nutzung der „Tempelhofer Freiheit“

Fotos via

tempelhof-airport-park-22[6]

Foto © Bart Bernardes

Tempelhof9

Tempelhof13

Tempelhof8

Tempelhof11

Tempelhof10

Tempelhof14

Tempelhof15

Tempelhof12

Fotos via

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Conheça a aparência original da Estátua da Liberdade antes de oxidar