Inovação

Google premia jovem de 17 anos que criou teste de baixo custo para combater o vírus do ebola

por: Redação Hypeness

A estudante da Greenwich High School Olivia Hallisey, de Connecticut (EUA) foi premiada com uma bolsa de estudos de 50 mil dólares na última edição da Google Science Fair. A garota de 17 anos desenvolveu um teste que detecta o vírus do ebola de maneira mais rápida e econômica que o exame existente criado pela Indústria Farmacêutica.

Devido ao surto do vírus no ano passado, que teve início em países da África Subsariana e chegou até a Europa e Estados Unidos, foi desenvolvido um exame que revelava o resultado em até 24 horas. O método, porém, necessita de uma equipe médica especializada, custa milhares de dólares e necessita ser mantido em local refrigerado; condições estas inviáveis para países pobres ou subdesenvolvidos. Já o teste criado por Olivia pode ser armazenado em temperatura ambiente por até três semanas, revela o resultado em apenas 30 minutos e custa 25 dólares.

A jovem estudante explica: “nós temos que trabalhar em conjunto para encontrar respostas para os enormes desafios que ameaçam a saúde global, o nosso ambiente e o mundo” e espera que seu projeto incentive outras garotas a perseguirem seus sonhos nestas áreas: “gostaria apenas de incentivar as garotas a experimentar, lembrar que elas não precisam se sentir naturalmente atraídas ou ter um talento especial para Matemática ou Ciências, basta realmente olhar para algo que estão interessadas e depois pensar em melhorar ou tornar mais agradável, ou relacionar ao seus interesses”.

O vídeo abaixo explica o mecanismo do exame:

garota3

garota5

Todas as imagens: Divulgação

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Google mira 100% de uso de energia limpa até 2030 em movimento sustentável