Inspiração

10 brincadeiras da infância que não deveriam deixar de existir

Redação Hypeness - 29/10/2015 às 08:48 | Atualizada em 14/12/2021 às 19:59

O mês das crianças pode até já estar no fim, mas a gente acha que elas merecem muito mais espaço em nossas vidas. É claro que sabemos também que reviver a infância é uma das melhores maneiras de fazer isso – e pode ser muito divertido!

Para que você entre no clima, separamos algumas brincadeiras que nunca deveríamos ter deixado de lado como uma maneira de relembrar que a nossa criança interior nunca deve envelhecer. Então que tal aproveitar para recordar o seu tempo de criança enquanto chama seu filho, sobrinho, afilhado ou primo mais novo para conhecer algumas brincadeiras que eram comuns na sua época?

Entre no jogo e você vai ver como os pequenos podem se divertir muito longe do computador – assim como você fazia quando era criança. Separamos algumas ideias de brincadeiras que são sucesso garantido com a criançada:

1. Pega-pega

Um grupo de três já é suficiente para brincar de pega-pega. Escolha quem vai ser o pegador e quem precisa fugir. O jogo possui muitas variações, mas, na mais comum, quando uma criança é pega, ela troca de lugar no jogo e passa a ser a responsável por pegar os outros.

2. Amarelinha

Brincar de amarelinha é mais fácil do que parece. Primeiro, é preciso desenhar no chão dez quadrados numerados que levam até a casa céu. Um por vez, os jogadores lançam uma pedrinha no número 1 e pulam, sem encostar nessa casa, em direção ao céu.

Após chegarem lá, precisam refazer o caminho de volta e pegar a pedrinha. Na segunda rodada, os jogadores lançam a pedrinha na casa 2, e assim sucessivamente. Vence quem pular todas as casa sem errar primeiro.

Mas atenção: só é permitido pular com os dois pés nas casas que forem duplas. O jogador perde a vez se esquecer de pegar a pedrinha no caminho de volta, não acertar o número indicado, pisar nas linhas ou na casa onde caiu a pedrinha.

3. Bobinho

Bobinho é uma brincadeira que precisa de no mínimo três participantes. Dois deles ficam jogando uma bola entre si, enquanto o terceiro é o “bobinho”, a pessoa que fica no meio tentando roubar a bola dos outros.

Esse jogo é sucesso na hora do recreio, além de combinar muito bem com dias de praia ou piscina.

4. Dança das cadeiras

Coloque aquela música que os pequenos adoram e disponha as cadeiras em um círculo pela sala ou pelo pátio. A quantidade de assentos precisa ser menor do que o número de crianças. Enquanto a canção toca, elas devem girar ao redor das cadeiras. Quando o som parar, todas precisam se sentar. Quem sobrar em pé é eliminado do jogo. Vence a a brincadeira aquela que sempre conseguiu terminar as rodadas sentada.

5. Mímica

Para jogar mímica, primeiro é necessário escolher um tema: filmes, animais ou personagens de desenho, por exemplo. Em seguida, separe as crianças em grupos. A cada rodada um integrante de um grupo faz uma imitação enquanto o outro grupo tenta acertar. Vence o grupo que adivinhar mais vezes.

Esse jogo costuma ser ótimo para aqueles dias de festa do pijama em que as crianças não sabem mais do que brincar.

6. Pular elástico

Para brincar de pular elástico é preciso de pelo menos três crianças. Duas delas seguram o elástico com os tornozelos a uma distância considerável. A outra se posiciona no centro e pula o fio, usando as pernas para torcê-lo. O legal é que existem inúmeras opções de sequências e “manobras”.

Se um jogador errar, troca de lugar com alguém que está segurando o elástico. Enquanto isso, a altura dele em relação ao chão vai aumentando: dos tornozelos, sobe para as panturrilhas, joelhos, coxas, até chegar no pescoço. Nesse ponto da brincadeira, é possível jogar usando os braços.

7. Caça ao tesouro

Na caça ao tesouro, um adulto escolhe um objeto para ser o “tesouro” e o esconde pela casa. Em seguida, dão pistas às crianças sobre o paradeiro dele. Dessa forma, os pequenos traçam um caminho e tentam encontrá-lo.

Assim como o esconde-esconde, essa brincadeira também pode acontecer ao ar livre ou em qualquer ambiente apropriado para um tesouro ser escondido e interessante o suficiente para se criar pistas legais.

8. Batata quente

Para brincar de batata quente, os participantes se sentam um ao lado do outro no chão, formando um círculo. Enquanto uma música toca, eles passam uma batata, ou qualquer outro objeto, de mão em mão. Quando a canção parar, a pessoa que estiver segurando a batata é eliminada. 

Se alguém tentar passar a batata para outro jogador após o término da canção, também é eliminado. Vence a pessoa que sobrar, a única que não saiu da brincadeira.

A música que dita o ritmo do jogo pode ser tocada por um aparelho de som, cantada por um participante que está de fora do círculo ou por todos os jogadores. Nesse último caso, a canção não pode ser interrompida aleatoriamente, mas sim chegar ao final.

9. Esconde-esconde

No esconde-esconde, uma das crianças participantes é escolhida para procurar o resto. Ela precisa contar de olhos fechados até determinado número, enquanto as outras se escondem. Após terminar, vai em busca dos amigos.

Há duas opções do que fazer quando o escolhido encontra alguém. A primeira é encostar na pessoa achada, para eliminá-la do jogo. A segunda é correr para o local da contagem antes que o descoberto chegue primeiro, bater a mão lá e gritar “um, dois, três” junto ao nome do amiguinho que estava escondido.

O jogo termina quando o encarregado de procurar encontra todas as crianças escondidas ou se alguma delas bate com a mão no lugar da contagem antes que seja tocada pelo escolhido, salvando o restante.

Além de ser uma brincadeira divertida e que envolve agilidade, pode rolar tanto dentro de casa quanto na rua ou no parque. O lugar perfeito para brincar é aquele que oferece espaços bons para os participantes se esconderem.

10. Batatinha frita 1, 2, 3

Nessa brincadeira, uma pessoa precisa ficar de costas para o resto do grupo, posicionado em linha reta a uma determinada distância. Enquanto o jogador virado diz “batatinha frita 1, 2, 3”, os outros jogadores correm em direção a ele. Quando o “chefe” se vira, todos precisam parar, como estátuas. 

Quem se mexer durante esse intervalo de tempo é eliminado. Vence a pessoa que conseguir avançar mais rápido e encostar no “chefe” antes que ele se vire.

E você, qual brincadeira da infância leva guardada no coração? Já pensou em ensinar os mais novos a brincar assim, pelo menos por um dia? A proposta é de Merthiolate, que quer fazer você voltar a ser criança também. Afinal, a marca estava sempre presente naqueles momentos importantes de sua infância, quando você ralava o joelho em meio a uma brincadeira com os amigos, ou naquele final de semana divertido em família no sítio – a gente aposta que, se você fechar os olhos, consegue ainda ouvir a sua mãe dizendo que não vai arder. Lembra?

Para que nossos filhos tenham uma infância tão gostosa como a nossa, o jeito é continuar cultivando as brincadeiras mais gostosas com eles. Assim como os jogos passam de geração para geração, o Merthiolate também já virou tradição em família, só que com uma melhoria: ele não arde. E você sabe que onde tem carinho, tem Merthilolate.

selo artigo patrocinado

Publicidade

Foto 1: Reprodução/Piccolo Universe

Foto 2: Reprodução/São Paulo para Crianças

Foto 3: Reprodução/TodaMatéria

Foto 4: Reprodução/Colégio Logosófico

Foto 5: Reprodução/Jogos de Rua

Foto 6: Visual Hunt

Foto 7: LightFieldStudios

Foto 8: Reprodução/Prefeitura de Rolândia

Foto 9: iStock

Foto 10: Reprodução/Colégio Magnum Buritis


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness