Estilo

A carta de uma mãe para um garoto de 15 anos que ajudou sua filha a aprender a andar de skate

Redação Hypeness - 27/10/2015

Enquanto meninas brincam de boneca, meninos podem se divertir com skates e manobras. Mas quem foi que inventou isso? Quando a pequena Peyton, de apenas 6 anos, disse a sua mãe, Jeanean Thomas, que gostaria de aprender a andar de skate e seu pedido logo foi atendido, independente de ser uma garota.

Jeanean tirou do fundo do armário um skate antigo que tinha e levou a filha a uma pista, na cidade de Cambridge, no Canadá. Chegando lá, elas dividiram o espaço com um grupo de adolescentes, que entre manobras e cigarros, caprichavam nos palavrões e besteiras. A menina ficou claramente incomodada, mas tudo mudou quando um deles se aproximou e, observando que a garota mantinha os pés em posição errada na prancha, ofereceu-se para ajudar – algo que deixou a mãe simplesmente incrédula.

Segundo ela, o rapaz ficou cerca de uma hora ensinando Peyton a remar e a se equilibrar em cima do skate, apesar das zoações dos colegas. Positivamente surpresa, ela escreveu uma carta aberta ao jovem e a publicou em seu Twitter. Leia o trecho final:

Você gastou quase uma hora com a minha filha, mostrando a ela como se equilibrar e remar e ela prestou atenção em você; um feito que muitos adultos não conseguem! Você segurou a mão dela e a ajudou a se levantar quando ela caiu e eu até ouvi você falar para ela ficar longe dos corrimões para não se machucar. Eu quero que você saiba que eu estou orgulhosa de você ser parte da minha comunidade e quero te agradecer por ser tão querido com minha filha, mesmo com seus amigos de zoando. Ela saiu de lá com muito orgulho e com a confiança de que era capaz de fazer qualquer coisa, graças a você.

garota-skate

garota-skate2

garota-skate3

garota-skate5

Todas as fotos © Acervo Pessoal

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.