Fotografia

Ensaio encantador retrata a beleza (e empodera!) de crianças nascidas de estupros

Redação Hypeness - 01/10/2015

A cidade de Goma, na República Democrática do Congo, foi palco de diversos crimes de violência sexual durante a guerra. A maioria das vítimas dos abusos eram mulheres e crianças, que tiveram suas vidas devastadas. Mas, recentemente, diversas iniciativas locais buscam reintegrar essas pessoas à sociedade e mostrar o quão bonitas e fortes elas são.

Uma dessas iniciativas é a série de fotografias chamada “Look at me I am beautiful” (“Me olhe, eu sou bonita”, em tradução livre) criada pela fotógrafa Patricia Willocq, que retrata de forma fictícia (mas nem tanto) a vida de Esther, uma menina nascida de um estupro. As imagens acompanham todos os passos da vida da menina, desde o seu nascimento até a velhice, em que ela sempre aparece cercada por homens que a apoiam e protegem.

Mas, tão interessante quanto a história contada pelas fotos, é o fato de que todas as crianças que aparecem nas imagens nasceram de estupros. As mulheres retratadas também sofreram violência sexual, mas provaram que, apesar de tudo, é sempre possível dar a volta por cima e encarar a vida de maneira positiva.

Confere só:

esther1

esther2

esther3

esther4

esther5

esther6

esther7

esther8

esther9

esther10

esther11

esther12

esther13

Todas as fotos © Patricia Willocq

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Influenciadores digitais vão ter que informar retoques em fotos, decide lei na Noruega