Fotografia

Série de fotos impressionante registra os avanços da lama no Rio Doce

por: João Diogo Correia

Publicidade Anuncie

É difícil fotografar com lágrimas nos olhos“. A frase é de Leonardo Merçon, fotógrafo do Instituto Últimos Refúgios, que, juntamente com uma equipe que incluía outros fotógrafos, um cinegrafista e até um nativo da cidade de Aimorés, registrou a transformação no Rio Doce após o rompimento da barragem de rejeitos em Mariana, Minas Gerais. O Hypeness conversou com o fotógrafo para entender melhor a tragédia que temos pela frente.

Em duas expedições, a equipe visitou praticamente todas as cidades entre Governador Valadares e Regência. “Quando chegamos no Rio Doce, a lama ainda não tinha chegado. Fomos subindo o rio, parecia tudo limpo, e a gente estava ficando até feliz, imaginando que a água do rio tinha limpado e que a lama não iria matar tudo“. Mas quando chegaram em Governador Valadares, o cenário mudou: “havia peixes na superfície da água tentando respirar, tendo um comportamento estranho, tentando saltar da água como se ela estivesse machucando. Caramujos, que são bem sensíveis, preferindo subir na pedra quente, que chegava a queimar se você encostasse, do que ficar naquela água podre”.

We were in Governador Valadares ... horrific scenes! We drove upstream by the Rio Doce from Espírito Santo to Minas Gerais to find such a "deadly mud" from the Samarco dam break. We saw all the beauties of fauna that will be lost. Tha substance is deadly to aquatic fauna of the river. It is killing literally EVERYTHING that has the misfortune to be on its way. Toxic or not, we are living one of the largest environmental catastrophes of this region of Brazil. Yes, I believe the mud will reach relentless the ocean. Our river is no longer the same! But one thing is certain, it was difficult to shoot with my eyes full of tears for the sadness of seeing thousands of lives being taken in vain! Lives dying, asking for help on the water surface! ____________ Estivemos em Governador Valadares... cenas horríveis! Percorremos o Rio Doce do Espírito Santo até Minas Gerais para encontrar a tal "lama mortífera" proveniente do rompimento da barragem da Samarco rio acima. Vimos todas as belezas da fauna que serão perdidas. Realmente é mortal para a fauna aquática do rio. Está matando literalmente TUDO que tem o azar de estar em seu caminho. Tóxica ou não, está causando um impacto digno de uma das maiores catástrofes ambientais de que temos notícias em MG e ES. Sim, acreditamos que a lama chegará implacável no Espírito Santo. Nosso rio não será mais o mesmo! Mas uma coisa é certa, foi difícil fotografar com os olhos cheios de lágrimas pela tristeza de ver as milhares de vidas sendo levadas EM VÃO! Vidas agonizando, pedindo socorro na superfície da água!

Registramos um ‘antes’ e ‘depois’ das cidades e foi bem pesado, emocionalmente falando. Nós vimos aquelas maravilhas naturais antes e depois, com aquela lama matando toda a vida do rio. Inicialmente, a vida aquática, mas agora também aves e mamíferos”, afirma Leonardo, que conclui:a lama está matando tudo e vai continuar matando“.

We were in Governador Valadares ... horrific scenes! We drove upstream by the Rio Doce from Espírito Santo to Minas Gerais to find such a "deadly mud" from the Samarco dam break. We saw all the beauties of fauna that will be lost. Tha substance is deadly to aquatic fauna of the river. It is killing literally EVERYTHING that has the misfortune to be on its way. Toxic or not, we are living one of the largest environmental catastrophes of this region of Brazil. Yes, I believe the mud will reach relentless the ocean. Our river is no longer the same! But one thing is certain, it was difficult to shoot with my eyes full of tears for the sadness of seeing thousands of lives being taken in vain! Lives dying, asking for help on the water surface! ____________ Estivemos em Governador Valadares... cenas horríveis! Percorremos o Rio Doce do Espírito Santo até Minas Gerais para encontrar a tal "lama mortífera" proveniente do rompimento da barragem da Samarco rio acima. Vimos todas as belezas da fauna que serão perdidas. Realmente é mortal para a fauna aquática do rio. Está matando literalmente TUDO que tem o azar de estar em seu caminho. Tóxica ou não, está causando um impacto digno de uma das maiores catástrofes ambientais de que temos notícias em MG e ES. Sim, acreditamos que a lama chegará implacável no Espírito Santo. Nosso rio não será mais o mesmo! Mas uma coisa é certa, foi difícil fotografar com os olhos cheios de lágrimas pela tristeza de ver as milhares de vidas sendo levadas EM VÃO! Vidas agonizando, pedindo socorro na superfície da água!

Eu chamo esse desastre de Chernobyl brasileira“, diz Leonardo, e o caso não parece ser para menos. Estimativas indicam que o Rio Doce levará décadas para se recuperar e voltar a ser utilizável. “Algumas pessoas ainda não estão tendo uma noção real do que estão vivendo, ainda mais aquelas mais simples, que vivem na beira do rio, e que sempre tiraram seu sustento dele“.

Já outras, de ribeirinhos a índios, não conseguem fazer muito mais do que chorar: “a maior preocupação dessas pessoas nem é com elas, é com os filhos delas. Quando que os filhos terão oportunidade de pescar um robalo ou um piau? Ou voltar a tomar banho no Rio Doce?”

We were in Governador Valadares ... horrific scenes! We drove upstream by the Rio Doce from Espírito Santo to Minas Gerais to find such a "deadly mud" from the Samarco dam break. We saw all the beauties of fauna that will be lost. Tha substance is deadly to aquatic fauna of the river. It is killing literally EVERYTHING that has the misfortune to be on its way. Toxic or not, we are living one of the largest environmental catastrophes of this region of Brazil. Yes, I believe the mud will reach relentless the ocean. Our river is no longer the same! But one thing is certain, it was difficult to shoot with my eyes full of tears for the sadness of seeing thousands of lives being taken in vain! Lives dying, asking for help on the water surface! ____________ Estivemos em Governador Valadares... cenas horríveis! Percorremos o Rio Doce do Espírito Santo até Minas Gerais para encontrar a tal "lama mortífera" proveniente do rompimento da barragem da Samarco rio acima. Vimos todas as belezas da fauna que serão perdidas. Realmente é mortal para a fauna aquática do rio. Está matando literalmente TUDO que tem o azar de estar em seu caminho. Tóxica ou não, está causando um impacto digno de uma das maiores catástrofes ambientais de que temos notícias em MG e ES. Sim, acreditamos que a lama chegará implacável no Espírito Santo. Nosso rio não será mais o mesmo! Mas uma coisa é certa, foi difícil fotografar com os olhos cheios de lágrimas pela tristeza de ver as milhares de vidas sendo levadas EM VÃO! Vidas agonizando, pedindo socorro na superfície da água!

RioDoce4
Foto © Herone Fernandes

Segundo o fotógrafo, é importante lembrar que a lama não está “só” matando peixes, mas diversos organismos essenciais à vida do Rio e da região. O que aconteceu representa um crime ambiental que acaba compensando os responsáveis. Confrontado com uma notícia que dá conta de que a Samarco sabia desde 2013 que o rompimento poderia acontecer, Leonardo responde: “essas hipóteses não são levadas em consideração. O que a empresa vai pagar em multas é muito menos do que aquilo que ela fatura anualmente, por isso o risco vale a pena para as empresas, já que elas continuam no lucro.”

We were in Governador Valadares ... horrific scenes! We drove upstream by the Rio Doce from Espírito Santo to Minas Gerais to find such a "deadly mud" from the Samarco dam break. We saw all the beauties of fauna that will be lost. Tha substance is deadly to aquatic fauna of the river. It is killing literally EVERYTHING that has the misfortune to be on its way. Toxic or not, we are living one of the largest environmental catastrophes of this region of Brazil. Yes, I believe the mud will reach relentless the ocean. Our river is no longer the same! But one thing is certain, it was difficult to shoot with my eyes full of tears for the sadness of seeing thousands of lives being taken in vain! Lives dying, asking for help on the water surface! ____________ Estivemos em Governador Valadares... cenas horríveis! Percorremos o Rio Doce do Espírito Santo até Minas Gerais para encontrar a tal "lama mortífera" proveniente do rompimento da barragem da Samarco rio acima. Vimos todas as belezas da fauna que serão perdidas. Realmente é mortal para a fauna aquática do rio. Está matando literalmente TUDO que tem o azar de estar em seu caminho. Tóxica ou não, está causando um impacto digno de uma das maiores catástrofes ambientais de que temos notícias em MG e ES. Sim, acreditamos que a lama chegará implacável no Espírito Santo. Nosso rio não será mais o mesmo! Mas uma coisa é certa, foi difícil fotografar com os olhos cheios de lágrimas pela tristeza de ver as milhares de vidas sendo levadas EM VÃO! Vidas agonizando, pedindo socorro na superfície da água!

É inegável o poder das imagens captadas pelo fotógrafo brasileiro, que acredita que a fotografia, se não pode mudar o mundo, pode ser “uma porta de entrada para um novo conceito na cabeça das pessoas“. Suas imagens, vistas por milhares de brasileiros e um pouco por todo mundo, podem servir para aumentar a conscientização. E a chave pode estar… nas crianças. “Os adultos já foram corrompidos pela sociedade, por isso que vou a escolas e luto para mudar a cabeça das crianças, elas são o futuro“.

The last few days have been very sad for our team who was on the margins of the Rio Doce. We began to hear reports that waste from the Samarco dam, are killing animals other than fish. They talked about capybaras, otters, alligators, dogs, cattle, horses and birds are among the victims. Our team, which photographed parts of the river a week before the "mud" take it, went back to the same places to look for beautiful animals we had found and see how they were. To our sorrow, we find dead one of the ducks we had photographed last week, exactly the same place. Some other animals also found inside the dirty river and we were even more sad to see them feeding and drinking such harmful water. It is important to warn that we have reports of people getting sick from coming into contact with the river water, or drink water from dubious sources, due to thirst. We received this information in Galiléia city and a Indigenous village (Village Krenak).We saw the "mud" coming in ES, to the sea, and is already killing fish and shrimp all allong the river. The aquatic fauna is also dying.Coastal communities and animals will be affected sooner or later, because the substances in this water are very aggressive and will take time to go... It is killing birds and mammals that drink it. As the ducklings photos.The soul wrinkling before the skin!------------------------------------Os últimos dias foram muito tristes para nossa equipe que estava nas margens do Rio Doce. Começamos a ouvir relatos de que os resíduos, provenientes do rompimento da barragem da Samarco, estão matando outros animais além dos peixes. Nos falaram sobre capivaras, lontras, jacarés, cachorros, bois, cavalos e aves estão entre as vítimas. Nossa equipe, que fotografou partes do rio uma semana antes da "lama" tomá-lo, voltou aos mesmos locais para procurar os belos animais que havíamos encontrado e ver como estavam. Para nossa tristeza, encontramos morto um dos marrecos que havíamos fotografado na semana ant

E o que podemos fazer para inverter a situação?

Leonardo lembra que estes e outros desastres são da responsabilidade do ser humano e vai mais longe: em uma década, a sociedade como a conhecemos vai acabar. “Está insustentável esse desenvolvimento forçado, essa ganância pelo lucro. A natureza vai cobrar um preço muito maior“. A solução? “Eu imagino que a nossa única chance é reformular o modelo de sociedade, algo mais sustentável que respeite a vida e a natureza”.

Lembrando que o momento mais marcante foi a transformação da paisagem – “em Tumiritinga, a natureza me presenciou com um cenário lindo, com os patinhos selvagens, da espécie pé-vermelho, felizes, e depois que a lama chegou, eu os encontrei todos mortos” -, Leonardo deixa uma mensagem de esperança: “se o ser humano permitir, a natureza vai fazer o que sabe melhor: sobreviver“.

A morte do Rio Doce | The Rio Doce´s river death

O Instituto Últimos Refúgios é uma instituição sem fins luc

O Instituto Últimos Refúgios é uma instituição sem fins luc

A morte do Rio Doce | The Rio Doce´s death

A morte do Rio Doce | The Rio Doce´s river death

O Instituto Últimos Refúgios é uma instituição sem fins lucrativos, que visa à sensibilização ambiental através de imagens. “As pessoas só protegem o que sabem que existe!“. Vale a pena seguir o trabalho da ONG no site ou através do Facebook.

Abaixo um vídeo com o fotógrafo entrevistado pelo Hypeness, Leonardo Merçon, falando da empreitada no Rio Doce:

Fotos © Leonardo Merçon/Últimos Refúgios

Publicidade Anuncie


João Diogo Correia
É português, viveu no Brasil, Itália e Espanha. Fez a melhor viagem da sua vida pela África e agora está de volta a Portugal. Há mais de três anos, começou a trabalhar remotamente, a partir de casa ou em qualquer lugar com wi-fi, e por isso agradece todos os dias à internet.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Artista brasileiro transforma paisagens com arco-íris sem alterações digitais