Roteiro Hypeness

Fizemos um giro pela arte de rua carioca com o pessoal do #StreetArtRio

por: Paulo Moura

Quando o assunto é arte urbana, a autoridade no Rio de Janeiro é o #StreetArtRio. O site colaborativo tem mais 20 mil imagens registradas através das hashtags, que geram galerias e mapas, identificando artistas e localizando obras e intervenções em toda a cidade.

Para conhecer melhor esse movimento, o Hypeness bateu um papo com o designer e ilustrador Rafo Castro, um dos criadores do projeto, e deu um giro por algumas das principais intervenções artísticas do Rio.

graf1

(Painel Bambas da Lapa produzido por vários artistas de rua do Rio)

Hypeness (H) – Como surgiu a ideia de montar o #StreetArtRio?

Rafo Castro (RC) – Por ter experiência de mais de 10 anos com arte urbana (cartazes, grafittis, stickers e lambe-lambe), alguns amigos sempre me perguntavam, ao passar pelas ruas, quem era o responsável por determinado graffiti. Além do nome, sempre havia uma informação a mais, uma história interessante por detrás da obra.

Após uma conversa com meus amigos Marcelo Alves, Joana Palhares e Miguel Athayde, resolvemos criar o projeto. Nosso proposta é justamente disponibilizar todo esse conteúdo, ou seja, oferecer informações sobre a história da arte urbana carioca para mais pessoas. Como o grafitti é em sua essência ilegal e passível de ser apagado, concluímos que a única forma de manter um mapa atualizado seria com a colaboração livre e diária.

graf2

(Mural feito pelo artista Toz na Zona Portuária)

graf3

(Escadaria Carmen Miranda no bairro de Fátima)

graf9

(Obra do Marcelo Ment na Lagoa)

H – Quais são na sua opinião as principais características da arte de rua no Rio de Janeiro?

RC – A multiplicidade, muitos traços diferentes, influências misturadas e muita cor. Essa salada de estilos é muito presente nos painéis do Rio. Acredito que isso aconteça por conta de ser um reflexo da nossa cidade. A relação do concreto da cidade com as belezas naturais é muito característica daqui.

graf7

(Obra do Marcelo Eco no Centro do Rio)

graf4

(Marcelo Ment na Lapa)

graf10

(Muro grafitado pela Anarkia em Lins de Vasconcelos)

H – Quais são os próximos passos do projeto?

RC – Após o sucesso do #StreetArtRio, ativamos a primeira iniciativa fora do Rio com a plataforma #StreetArtSP, que já reúne quase milhares de obras registradas de arte urbana em São Paulo. Para o próximo ano, estamos preparando plataformas em outras cidades ao redor do mundo, de modo a permitir que admiradores da arte urbana de diversos locais conheçam a riqueza das cores e traços que dialogam todos os dias pelos muros das cidades.

*Para colaborar com o mapeamento da arte urbana no Rio, é só marcar #StreetArtRio no seu post – lembrando que só vale para registros feitos no Rio.

coberturahype

Publicidade


Paulo Moura
Jornalista paulistano que adotou o Rio de Janeiro como casa. Possui mais de 15 anos de experiência em comunicação corporativa e é sócio-diretor da Agência VIRTA. Apreciador de cerveja, comida ogra, mar e tudo aquilo que combina ou remete a ele.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Artista cria supermercado inteiro feito de feltro e explode nível de fofura