Estilo

An African City: a ‘versão africana’ de Sex and The City é poderosa

por: Redação Hypeness

Quem é fã da personagem Carrie Bradshaw já pode escolher uma nova série inspirada na personagem que marcou gerações. Seguindo os moldes da série de sucesso Sex and the City, a websérie An African City traz histórias de cinco mulheres negras poderosíssimas que não vivem em Nova York e sim em Gana, na África, para onde retornaram após uma vida longe de casa.

Exibida no Youtube, a série traz uma premissa fundamental que aparentemente foi esquecida pelos criadores de Sex and the City: protagonistas negras. O roteiro, porém, segue com narrativas semelhantes à da serie original e aborda desde o uso de vibradores até assuntos amorosos contados por Nana Yaa, que é jornalista (assim como Carrie) e a personagem principal.

Já a personagem Sade é mais como a Samantha: bem resolvida, bem sucedida e com uma vida sexual bem agitada. Ngozi é a recatada do grupo (o que lembra a Charlotte…) e pretende praticar o celibato até o casamento chegar. Zainab e Makena são uma mistura de Miranda com Samantha: ambiciosas e que não abalam com qualquer coisinha.

an-african-city9

Outra coisa que não poderia faltar é a moda. O lado fashion da série também continua em alta, com garotas estilosas vestidas em roupas incríveis. Vale a pena conhecer a história sob a ótica de mulheres africanas num cenário contemporâneo de seu país. Aproveite para colocar os episódios em dia porque An African City já está na segunda temporada:

an-african-city

an-african-city7

an-african-city8

an-african-city2

an-african-city3

an-african-city4

an-african-city6

Todas as fotos: divulgação

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Barba rabo de macaco é tendência que não precisava existir em 2021