Sustentabilidade

Avião movido a energia solar atravessa Oceano Pacífico, a parte mais perigosa da volta ao mundo

por: Redação Hypeness

Como demonstrar ao mundo o potencial das energias renováveis? Há muitas maneiras de fazer isso, mas um projeto decidiu optar pela mais ambiciosa delas: usar um avião movido a energia solar para dar a volta ao mundo. A aeronave utilizada para isso ganhou o nome de Solar Impulse 2 e acaba de cumprir a parte mais perigosa do trajeto.

O Solar Impulse (sobre o qual já falamos aqui) concluiu a travessia do Oceano Pacífico neste domingo, 24, quando chegou à Califórnia, nos Estados Unidos. O trecho é considerado como o mais perigoso em uma volta ao mundo por não contar com pontos para pouso em caso de emergências. O voo saiu do Havaí e voou durante três dias inteiros, em um percurso de 4.528 quilômetros.

soalr3

A aeronave foi pilotada pelo suíço Bertrand Piccard, um dos criadores do projeto. A primeira parte do trajeto havia sido realizada em 2015, com o piloto suíço André Broschberg no comando do avião, que é o primeiro do mundo a ser movido exclusivamente a energia solar. Entre os dois voos, quase 300 dias se passaram, durante os quais a aeronave ficou parada no Havaí para reparos.

Em breve, a viagem que começou em março de 2015 deverá continuar até Nova Iorque, seguindo para a Europa, norte da África e Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, onde a volta ao mundo teve início.

soalr10

solar9

Fotos © Solar Impulse/Twitter

soalr5

solar1

solar2

solar4

solar6

solar7

solar8

solar9

Fotos © Bertrand Piccard/Twitter

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Leonardo DiCaprio sobre Amazônia: ‘Pulmão do mundo está em chamas’