Arte

Conheça o homem que colecionava cores e o museu que protege os pigmentos mais raros do mundo

por: Vitor Paiva

Publicidade Anuncie

Se hoje é possível acessar e utilizar todas as cores existentes e suas combinações através do computador ou da escala Pantone, antigamente para se usar qualquer cor que fosse, das mais banais às mais raras, era preciso que ela existisse fisicamente, como um pigmento, normalmente em pó que, misturando a uma resina, se tornaria, por exemplo, uma tinta.

A história das cores, seus pigmentos e tintas, se mistura com a história da arte. O historiador Edward Waldo Forbes viajou por todo mundo entre os anos 1910 e 1940, reunindo os mais raros e diversos pigmentos. Sua missão inicial era levantar essas tonalidades para autenticar pinturas italianas clássicas, mas, ao longo dos anos, Forbes se tornou detentor da maior coleção de cores raras do mundo.

O acervo de Forbes

O acervo de Forbes

O Museu de Artes Forbes, na Universidade de Harvard, nos EUA, reúne mais de 2500 amostras de pigmentos. A coleção é utilizada principalmente para fins técnicos e científicos – como comprovar que uma pintura descoberta em 2007, supostamente feita por Jackson Pollock, era na verdade uma falsificação.

CORES13

 CORES4

Cada cor possui uma história, algumas bastante peculiares, como o pigmento Mummy Brown, uma tonalidade milenar, feita a partir de uma resina que saía dos corpos mumificados e tingia as faixas, o corante vermelho Cochineal, que era retirado de besouros esmagados, ou o pigmento Lapis Lazuli, de intensa beleza, utilizado na máscara mortuária do faraó Tutankhamon que, de tão admirado ao longo dos séculos, o mineral que lhe deu origem chegou a valer mais do que o ouro.

Forbes, e a tonalidade Mummy Brown

Forbes, e a tonalidade Mummy Brown

Hoje a coleção inclui também pigmentos modernos, a fim de servir para a análise de obras de arte contemporâneas, mas as joias da coleção são mesmo os pigmentos reunidos por Forbes, devidamente protegidas para que certas cores e suas histórias não entrem em extinção.

O pigmento Lapis Lazuli

O pigmento Lapis Lazuli

O corante vermelho Cochineal

O corante vermelho Cochineal

Pigment Collection

Pigment Collection

Pigment Collection

Pigment Collection

Pigment Collection

Pigment Collection

Pigment Collection

Pigment Collection

Todas as fotos © Museu de Artes Forbes

Recentemente o Hypeness mostrou um experimento que faz daltônicos enxergarem cores corretamente. Relembre.

Publicidade Anuncie


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Por que Cleo, de ‘Roma’, merece a sua torcida para vencer o Oscar de melhor atriz