Inspiração

Esse chat ensina como conversar com um homofóbico

por: Vitor Paiva

Que preconceitos de qualquer tipo são o reduto maior do que o ser humano pode ter de pior, isso qualquer pessoa com recheio na cabeça e no coração sabe. Ainda assim, somos obrigados eventualmente a ter de lidar com esse tipo lamentável de expressão, e não é fácil saber como agir sem perder a razão contra os boçais.

A conversa abaixo foi postada no Facebook, e exemplifica o pensamento pequeno, perigoso e lamentável que, no caso, um típico homofóbico é capaz de destilar – sem se importar com qualquer lógica, sentido, inteligência, afeto ou a empatia. O resultado é de lavar a alma, e seria até divertido, não fosse trágico e sintomático.

HOMOFOBIA1

De qualquer forma, a conversa pode servir de guia para se dialogar com um homofóbico sem perder a cabeça, mantendo a inteligência e a razão, e expondo para os que tem coração o ridículo, o horror, a burrice dos preconceitos – e a paciência que nos é exigida quando temos de debater com tanta intolerância.

HOMOFOBIA2

HOMOFOBIA3

HOMOFOBIA4

HOMOFOBIA5

HOMOFOBIA6

HOMOFOBIA7

HOMOFOBIA8

HOMOFOBIA9

HOMOFOBIA10

HOMOFOBIA11

HOMOFOBIA12

Imagens: reprodução

Publicidade


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
O Pasquim: jornal de humor que desafiou a ditadura ganha exposição em SP ao completar 50 anos