Inspiração

#MeuPrimeiroAssédio ganha versão mexicana e mais uma vez ajuda mulheres a denunciar abusos

por: Redação Hypeness

Há pouco tempo a campanha #MeuPrimeiroAssédio flodou nossas redes sociais por um bom motivo: mostrar que grande parte das mulheres já passou por uma situação de assédio. Não importa se foi na escola, faculdade, na rua ou no trabalho, o que importa é que a mulherada está finalmente disposta a falar abertamente sobre isso para calar de vez os abusadores.

E, se as denúncias parecem ter se multiplicado aqui no Brasil, elas também ganharam as redes de outros países latino-americanos, como o México. Por lá, a hashtag #MiPrimerAcoso (ou “meu primeiro assédio”) virou tendência no Twitter na tarde deste sábado, 23. Usando a hashtag muitas mulheres mexicanas denunciaram o machismo enfrentado por elas em seu dia-a-dia.

A manifestação ocorreu um dia antes de uma marcha contra a violência de gênero no país, realizada no último domingo, 24, com adesão de 27 cidades mexicanas. O país convive com altos índices de violência de gênero e pesquisas do Instituto Nacional de Estatística e Geografia mexicano mostram que 63% das mulheres afirmam ter sofrido algum tipo de violência sexual (na Cidade do México este número sobe para 72%). Felizmente, as mulheres parecem estar cada vez mais dispostas a falar sobre o assunto, mostrando que não continuarão tolerando essa realidade.

O movimento nas redes começou quando a conta @e_stereotipas lançou a hashtag através do Twitter, baseada na experiência brasileira: uma de suas criadoras soube do sucesso da hashtag #MeuPrimeiroAssédio enquanto visitava um fórum feminista no Brasil e decidiu replicar a experiência. O sucesso foi imediato. Em menos de duas horas a hashtag se converteu em Trendid Topic no país, conforme relatam neste post.

Espia só algumas das histórias contadas através do Twitter:

acoso1

#MeuPrimeiroAssédio que não foi o primeiro, mas sim o pior: um cara gozou na minha calça em um ônibus muito cheio. Não soube e ainda não sei o que fazer.

acoso2

#MeuPrimeiroAssédio aos 19, pela rua, a caminho da universidade. Um senhor me ofereceu dinheiro para meter sua mão dentro da minha roupa íntima. Corri.

acoso3

#MeuPrimeiroAssédio tinha 11 anos e um cara passou em uma bicicleta e apertou um dos meus seios. Uma senhora na rua me culpou por usar essa blusa.

acoso4

Ainda me dói contar #MeuPrimeiroAssédio (como trair sua família?). Quando me vestia para sair, meu pai olhava para minha bunda.

acoso5

#MeuPrimeiroAssédio no metrô, um imbecil me tocou por todas as partes e se masturbava. Ninguém me ajudou, mesmo tenho chorado e gritado. Tinha 16 anos.

acoso6

#MeuPrimeiroAssédio: tinha uns 8 anos e ia sentada no ônibus quando um estúpido encostou seu pênis miserável no meu braço. Estava com a minha mãe, não lhe disse.

acoso7

#meuprimeiroassédio Quando tinha 5 anos e um tio maior de 40 anos me levantou para carregar-me e logo manipulou meus genitais sob o vestido.

acoso8

13 anos voltava do parque à noite, um homem que estava me seguindo me empurrou e agarrou minha bunda. Saiu correndo. #MeuPrimeiroAssédio

acoso9

Quando era menina, um jovem se masturbou com minhas costas enquanto via um espetáculo na rua em Coyoacán com meus pais. #MeuPrimeiroAssédio

acoso10

Quando menina, um adolescente meteu a mão na minha calcinha e disse que não contasse para ninguém. Contei aos meus pais. #MeuPrimeiroAssédio

Todas as imagens: Reprodução Twitter

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Morre Marlene, precursora do basquete feminino do Brasil e capitã da seleção em 60 e 70