Inspiração

Como um erro em encomenda de esfihas virou uma corrente de solidariedade com refugiada no Rio

Gabo Vieira - 01/06/2016 | Atualizada em - 08/04/2018

Latifah Hassan abriu um sorrisão daqueles quando recebeu a mensagem de Fabiana Mansur em seu celular. Era um pedido generoso da cliente que organizava sua festa de aniversário: 180 caixas contendo oito esfihas cada, a maior encomenda já recebida por Latifah em sua breve experiência como vendedora de salgados. Uma graninha que cairia como uma benção para a refugiada nigeriana que dorme em uma igreja desde que aterrissou no Brasil, há um ano.

No entanto, no dia da entrega, no último sábado, a venda dos sonhos se transformaria em um enorme transtorno. Fabiana não queria 180 caixas, mas 180 unidades do salgado árabe. Um mal-entendido bobo, fruto da dificuldade de comunicação no novo idioma, mas que significaria um prejuízo irrecuperável para Latifah. De coração partido por não poder cobrir todas as despesas, a psicóloga carioca foi às redes sociais pedir socorro para resolver a situação.

Deu certo. A postagem de Fabiana causou comoção imediata, foi compartilhada centenas de vezes e o Largo do Machado foi tomado por pessoas que juntaram a empatia com a vontade de comer umas esfihas quentinhas. A montanha de caixas esgotou-se ainda no sábado. Hoje, Latifah relembra o aperto e o alívio do último fim de semana às gargalhadas.

“Eu já tinha chorado muito. Mas a Fabiana é uma boa menina, uma ótima menina! Ela me botou imediatamente na internet e as pessoas começaram a chegar sem parar. Ficou lotado! Eles vinham, vinham, querendo comprar mais e mais, querendo ajudar. Eu fiquei feliz, os brasileiros são muito bons”, contou Latifah ao Hypeness, ainda preferindo o inglês ao português.

Latifah2

Em 2012, o grupo terrorista Boko Haram sequestrou o marido e o filho mais velho de Latifah. Sem notícias dos dois desde então, ela deixou a Nigéria para tentar vida nova no Brasil. Sua única companhia era a filha Thekyat, hoje com cinco anos. As duas vivem provisoriamente em uma igreja que abriga refugiados em Botafogo, zona sul do Rio. Foi lá que recebeu a oportunidade de revender salgados feitos por imigrantes árabes.

Latifah afirma também ser uma cozinheira talentosa e deseja um dia vender comidas típicas da Nigéria. Por enquanto, faltam recursos para a nova empreitada, mas o episódio recente trouxe um impacto positivo em suas finanças – as vendas subiram de cerca de 25 caixas diárias para 40. Um desfecho muito comemorado por Fabiana em conversa com o Hypeness.

“Minhas amigas deram a ideia de postar no Facebook pedindo ajuda. Eu imaginei que talvez funcionasse, mas não tinha noção do alcance que ia ter. Fiquei muito feliz. É bom quando a internet se mostra útil pra ajudar as pessoas. Fiquei surpresa mesmo.”

Latifah segue vendendo salgados árabes deliciosos em sua barraca no Largo do Machado e aceita encomendas no (21) 981505137 – com cuidado pra deixar o pedido bem explicado.

Latifah4

Latifah3

Latifah1

Fotos de Gabo Vieira.

Publicidade


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
SP anuncia distribuição gratuita de absorventes íntimos em escolas