Inspiração

Depoimento de jornalista que virou balconista põe em xeque preconceitos ‘invisíveis’

por: Redação Hypeness

Muitos de nossos preconceitos não são escancarados e óbvios, mas atuam silenciosa e discretamente, em pequenos detalhes que na maior parte dos casos passam desapercebidos, como se fossem verdades naturais – até que a gente se veja do outro lado da equação. Foi o que aconteceu com a jornalista Beatriz Franco.

“Me descobri preconceituosa” ela diz. “Eu, que defendo tanto a igualdade de gêneros, de cor, de religião, que tenho amigos gays, nordestinos, evangélicos, jovens, velhos, com dinheiro e sem, até coxinhas e petralhas! Vários tipos de rótulos”. Diante da aridez atual do mercado de trabalho, Beatriz aceitou o convite de uma amiga para trabalhar como balconista em uma loja de doces. E foi aí que sua percepção se expandiu, e a epifania começou.

“Eu, balconista? Jornalista, três idiomas, currículo em comunicação, trabalhando de touquinha na cabeça servindo os outros? Foi difícil tomar essa decisão, mas aceitei, estou precisando. Dias depois, a cena durante a tarde, limpando uma das mesas, ouvi dois clientes conversando: “Coloco acento em ‘tem’? Mudou com a nova ortografia?” “Não sei. Não entendo.” E eu ali me remoendo pra dizer “eu sei, eu sei!!!”. Mas, eu era só uma atendente e eles não iriam acreditar que eu sabia. Depois a barreira seguinte: conhecidos e colegas antigos entrarem na loja e me verem nessa função. “O que eles vão pensar? Eles não sabem como cheguei até aqui, que a dona é minha amiga, vão pensar que não dei certo na vida.”

BALCONISTA2

Beatriz então percebeu que a impressão que temia para si era, no fundo, justamente a impressão que tinha daqueles profissionais. “Sentia vergonha por estar em um trabalho honesto, justo, que traz alegria para as pessoas, que auxilia os outros? Eu deveria é ter vergonha de mim por pensar assim, por tanta falta de humildade e empatia.” Ela então escreveu isso em um post, junto com uma orgulhosa foto em que aparece de toquinha e uniforme, e a reflexão e autocrítica viralizou e comoveu muita gente.

BALCONISTA1

“Estou aqui aceitando com muito amor e gratidão o que me foi apresentado. Aceitando novas formas de crescer e evoluir com, por enquanto, um preconceito a menos”.

© fotos: Facebook

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Campanha quer tornar um diamante feito de cabelo e símbolo de luta no mais valioso do mundo