Inspiração

Quando a vítima paga o pato

por: Redação Hypeness

Recapitulando os fatos aqui na terra: uma menina de 16 anos foi estuprada por 33 homens no Rio de Janeiro no dia 21 de maio. Para piorar, um vídeo do crime foi publicado na internet por um dos participantes. Se você ainda não sabia disso, é porque realmente estava em órbita. E, se você acha que ela teve alguma culpa do que aconteceu, é porque… bom, melhor deixar pra lá…

Se parecia que as coisas não poderiam ficar piores para a jovem, é bom saber que a violência sofrida pela menina não parou após ela prestar queixa sobre o estupro coletivo. A veracidade do fato chegou a ser questionada pela polícia (até quando?). E tudo indica que as dificuldades em sua vida não irão parar tão cedo: para proteger a menina, ela está se mudando para outro estado com a família após ser incluída no Programa de Proteção à Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte.

A iniciativa aconteceu após traficantes do Morro da Barão, envolvidos no crime, decretarem sua execução, pois o crime teria chamado a atenção da polícia. Sérgio Luiz da Silva Júnior, o Da Russa, é um dos suspeitos de ter participado do estupro coletivo e está sendo apontado como chefe do tráfico no Morro do Barão, onde o crime ocorreu. Até o momento, ele se encontra foragido.

estupro2

Foto © Gabriel de Paiva/ Ag. O Globo

Além da mudança, a jovem deverá ficar sem celular e sem computador com acesso a internet para evitar que entre em contato com pessoas que possam descobrir sua localização. Para piorar, ela foi orientada a cortar contato com todos os seus amigos antigos. Tranquilo pra quem acabou de sofrer um estupro coletivo não? Não mesmo! =/

Ela também poderá escolher mudar de nome, se os responsáveis pelo programa no local onde a vítima estiver considerarem que esta é uma providência necessária. Um dos objetivos do programa é justamente apagar o passado da vítima, para que ela possa recomeçar a vida em segurança. Por isso mesmo, ela precisou também excluir seus perfis em redes sociais – onde já havia divulgado que “não dói o útero e sim a alma“.

estupro

Foto: Reprodução Facebook

Segundo o Estadão, a adolescente teria declarado que está disposta a “mudar de vida”, o que já nos leva a pensar que até ela acredita que tenha algo de errado com a própria existência… 🙁

Dois suspeitos do crime já estão presos e a polícia busca identificar os outros envolvidos. Enquanto isso não acontece, parece que quem continuará pagando o pato é a vítima. Até quando?

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Padre resgata cães e os leva a missas para serem adotados