Inovação

Reino Unido abre a primeira maternidade especialmente criada para vítimas de estupro

por: Redação Hypeness

Enquanto o Brasil parece se esforçar para constranger e destratar ainda mais as mulheres vítimas de estupro, o Reino Unido acaba de abrir a primeira maternidade voltada especialmente para vítimas que tenho sobrevivido a abusos sexuais. A ideia veio de reivindicações das próprias vítimas, que muitas vezes sentem dificuldades em serem atendidas e se submeterem a exames depois dos ataques.

NHS3

A maternidade é localizada dentro do Royal London Hospital e oferece atendimento ginecológico e suporte psicológico às vítimas, além de cursos para gestantes e oferecimento de métodos contraceptivos. O projeto nasce de uma parceria entre o NHS (Serviço Nacional de Saúde, espécie de SUS britânico) e a ONG My Body Back (Meu corpo de volta), fundada ano passado por Pavan Amara, ela própria vítima de um estupro na adolescência.

Pavan Amara, fundadora da ONG

Pavan Amara, fundadora da ONG

Foi nas reuniões de apoio coordenadas pela ONG que a ideia da maternidade surgiu. Muitas vítimas afirmavam que gostariam de ter um bebê, mas de que não poderiam imaginar serem tocadas, examinadas, sem controle sobre o próprio corpo, sozinhas e frágeis em uma sala com um homem.

NHS5

A necessidade de tratamentos especiais e o despreparo dos médicos em geral ficou evidente em toda e qualquer pesquisa – e estamos falando da Inglaterra. A culpa nunca é da vítima, e para o estupro enfim deixar de ecoar é preciso cuidado especializado e atenção – ou é como se o abuso jamais se encerrasse.

NHS4

Todas as fotos © Divulgação/Getty Images

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Taiwan conta com ministra hacker e trans para vencer a covid-19 e as fake news